sábado, 11 de janeiro de 2014

Superliga: Funvic/Taubaté bate Montes Claros Vôlei e esquenta luta pela classificação aos playoffs


No início da tarde deste sábado (11.01), o Funvic/Taubaté (SP) recebeu o Montes Claros Vôlei (MG) no ginásio do Abaeté, em Taubaté (SP), e venceu por 3 a 1 – parciais de 21/19, 18/21, 21/12 e 21/16. O levantador Pedro, do time da casa, foi escolhido o melhor em quadra e levou o Troféu VivaVôlei. Após 2h de embate, válido pela quarta rodada do segundo turno da Superliga masculina 13/14, o ponteiro Sérgio (do Funvic/Taubaté) e o oposto Edinho (do Montes Claros) terminaram como maiores pontuadores: eles marcaram 12 vezes cada.

Com o resultado, o time do interior paulista empatou em número de pontos (12) com o Montes Claros, na nona posição, uma abaixo do São Bernardo Vôlei (SP), que soma 15 após a derrota por 3 a 2 para o Sada Cruzeiro (MG), e é atualmente a última equipe classificada para os playoffs. Contudo, os adversários desta tarde podem ser ultrapassados ainda neste sábado pelo Voltaço, que recebe o Sesi-SP às 20h e possui 10 pontos na tabela.

Na próxima rodada, o Funvic/Taubaté visita a UFJF (MG) no ginásio da UFJF, em Juiz de Fora (MG). A partida acontece no sábado (01.02) às 18h. Curiosamente, o time mineiro encara a mesma equipe da UFJF em seu próximo compromisso pela competição, só que no próximo sábado (18.01), às 21h30 – com transmissão do SporTV.
Duelo é disputado do início ao fim mas vence a regularidade do Funvic/Taubaté
A primeira parcial foi bastante disputada, e o que fez a diferença foram os pontos de bloqueio dos anfitriões: cinco, contra apenas um do time mineiro. A boa atuação do norte-americano McDonell também contribuiu em larga escala para os donos da casa saírem na frente: 21/19.

No segundo set, o Funvic/Taubaté errou menos e acertou mais no ataque, porém “o feitiço virou contra o feiticeiro”, como diz o ditado, e os pontos de bloqueio voltaram a ser determinantes – foram cinco do Montes Claros contra dois do time paulista. Assim, o time da casa não conseguiu reverter a vantagem obtida pelos mineiros após a primeira parada técnica obrigatória e o jogo ficou empatado em 1 a 1 após um 18/21.

Na disputa para ver quem pulava à frente no placar, os comandados de Nery Junior não conseguiram superar o ataque potente da equipe de Taubaté. Com cinco acertos, o oposto Leandrão comandou a linha ofensiva e determinou a vitória em 25 minutos, no set mais curto da partida: 21/12.

Dispostos a levar ao menos um ponto de volta para Montes Claros, os visitantes bem que tentaram empurrar o embate para o set de desempate, contudo, pecaram nos momentos decisivos. No fim, acabaram assistindo à grande atuação do levantador adversário, Pedro, que distribuiu muito bem as bolas e ajudou o time a fechar o jogo em 3 a 1: 21/16.
Equipes
Funvic/Taubaté – Sergio, McDonell, Leandrão, Contreras, Tiago Barth, Pedro e Diego (líbero).
Entraram: Rafa, Renato, Jotinha e Ezinho.
Técnico: Cézar Douglas.
Montes Claros Vôlei – Edinho, Alberto, Danilo, Vivalde, Petrus, Everaldo e Brendle (líbero).
Entraram: Lucas, Fabiano, Athos e Gianzinho.
Técnico: Nery Junior.

Vôlei Nacional: Thiago Alves deixa o Rio e vai jogar na Turquia


A debandada do Rio de Janeiro prevista pelo levantador Bruninho logo depois de selar sua ida para o Modena, da Itália, está praticamente completa. Apenas um dia após a saída de Leandro Vissotto para o Kepco, da Coreia do Sul, onde jogará até março deste ano, o ponta Thiago Alves foi mais um a anunciar que tomou um novo rumo na carreira. Em sua conta pessoal em uma rede social, ele contou aos seguidores que fechou contrato com o Fenerbahçe, da Turquia, onde atuará até o fim desta temporada, em abril.

- Lamento muito e é com tristeza que comunico oficialmente a minha saída. Esperei o quanto pude por uma definição, mas recebi a proposta do Fenerbahçe, da Turquia, e foi inevitável. Defendi o time carioca com amor e dedicação, fui muito feliz na primeira temporada e vivi mais um momento inesquecível da minha carreira na conquista do título da Superliga 2012/2013.
Foi uma opção permanecer no Rio de Janeiro nesta temporada. Tive outros momentos felizes com esse grupo, que é sensacional. Somos amigos e estive com eles o máximo de tempo que foi possível, sempre lutando pelo time e dando o máximo em quadra - relatou o atleta.

A saída dos principais nomes do atual campeão da Superliga se deu por conta da crise financeira do time e dos salários atrasados desde outubro, quando a empresa OGX, petroleira do grupo EBX, do empresário Eike Batista, faliu, e anunciou que abandonaria o projeto. Com isso, o Rio de Janeiro ficou apenas com Furnas e Ironage, que bancavam metade do orçamento, como patrocinadoras. O diretor José Inácio Salles lamentou a saída de Thiago Alves, mas afirmou que o fato já era de conhecimento da comissão técnica.

- Eles já vinham conversando há algum tempo. Desde quando teve o problema, a saída do patrocinador, esses caras foram assediados. O Bruno de forma mais intensa até porque já desejavam ele desde o ano passado. (O Thiago) já tinha nos comunicado anteontem. Ele já havia informado que sairia. Todo mundo estava sabendo. Ele só estava para tomar a decisão de para onde iria. O Vissotto também já tinha recebido ofertas para ir para a Itália. Para reverter isso, só com um patrocinador que pudesse sustentar a situação - disse ao GloboEsporte.com.
O primeiro a deixar o Rio de Janeiro por conta dos atrasos salariais foi o central Maurício de Souza. Ele fechou com o Halkbank Ankara, da Turquia, em novembro. Na última sexta-feira, Bruninho, um dos mais queridos da torcida, foi para o Modena, da Itália, onde já havia jogado por um mês em 2011. Thiago Sens também saiu. O destino foi o Al Jazeera, dos Emirados Árabes Unidos. Leandro Vissotto, que chegou em 2013 vindo do Ural Ufa, da Rússia, foi para a Coreia do Sul, para o Kepco.

Além da comissão técnica, liderada por Marcelo Fronckowiak, os atletas Riad e Mário Jr. são os únicos que recebiam salários da OGX e ainda seguem na equipe. De acordo com o primeiro, sua pretensão é ficar até o final da temporada. O líbero, por sua vez, relatou que o mercado para sua posição é mais restrito. Para José Inácio Salles, com menos atletas com salários atrasados, é mais fácil encontrar empresas dispostas a investir, já que o orçamento é menor.

- Eles dois estão embuídos de ficar e estamos correndo atrás para arrumar um patrocínio para eles. Chega Natal e Ano Novo e ninguém conversa de nada. Ainda bem que o Carnaval é mais para frente. Estamos procurando outras empresas que poderão demonstrar interesse. Não muda a responsabilidade da OGX de pagar o que deve. Mas precisamos motivar os dois que estão aqui. De maneira heroica eles permanecem no grupo. Eu tive algumas boas reuniões e podemos ter novidades. O lado bom dessa história é que há jovens se incorporando à equipe. Eles vêm de Botafogo, Fluminense, Flamengo e estão entrando de maneira precoce, mas os experientes estão recebendo todos eles muito bem para honrarmos a competição. Essa é a nossa meta - concluiu.

Mercado Nacional: Andressa deixa Pinheiros e acerta com turcos


A central Andressa vestirá a camisa do Eczacibasi-TUR pelos próximos dois meses. Ex-jogadora do Pinheiros, pelo qual disputou a atual Superliga feminina, Andressa terá a missão de substituir a norte-americana Harmotto nesta primeira experiência fora do País.

fonte: saqueviagem.com

Superliga: Unilever vence no seu primeiro jogo em 2014


Estreando no ano de 2014, a Unilever (RJ) começou bem a busca por melhores resultados e abriu o segundo turno da Superliga feminina de vôlei 13/14 com uma vitória sobre a Uniara/AFAV (SP) por 3 sets a 0. A equipe comandada pelo técnico Bernardinho jogou em casa, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, no Rio de Janeiro (RJ) e venceu com parciais de 21/17, 21/15 e 21/13, em 1h17 de jogo.

A Unilever contou com dois destaques no primeiro resultado positivo do ano: a levantadora Roberta, eleita a melhor em quadra e dona do Troféu VivaVôlei, e a oposto Sarah Pavan, maior pontuadora do confronto, com 10 acertos.

- Fizemos um jogo para vencer. Acho que o 3 sets a 0 não foi o mais importante hoje. Óbvio que tínhamos que conquistar esse resultado, em nossa casa. Só que o chamou mais atenção foi o número de erros que cometemos. Conseguimos ser mais constantes, erramos menos e isso é o que estamos buscando. Particularmente, joguei melhor do que vinha jogando. Espero evoluir mais ainda, junto com o time - encerrou Sarah.

A equipe carioca volta a jogar pela Superliga apenas no dia 21 de janeiro. Mas, antes disso, o time da capitã Fofão atuará pela Copa Brasil, competição que acontecerá na próxima semana, no ginásio Chico Neto, em Maringá (PR). O primeiro adversário da Unilever será o Rio do Sul/Equibrasil (SC), na próxima quinta (16.01), às 19h.

Já a Uniara/AFAV, que não estará na Coa Brasil, voltará à quadra pela Superliga para receber o Brasília Vôlei (DF) no ginásio Gigantão, em Araraquara (SP), no dia 21 de janeiro, às 20h30.

Superliga: Sesi-SP bate São Cristóvão Saúde/São Caetano em casa


Em partida válida pela primeira rodada do returno da Superliga feminina 13/14, a equipe do Sesi-SP recebeu o São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), e venceu por 3 a 0: parciais de 21/13, 21/14 e 21/17. O duelo transcorreu em 1h14 e as maiores pontuadoras foram a oposto Ivna, do time da casa, e a ponteira visitante Thaisinha, ambas com 12 acertos. O Troféu VivaVôlei, por sua vez, ficou com a líbero Suelen, do Sesi-SP, que brilhou com grandes defesas ao longo do embate.

Na saída de quadra, ela deu os créditos pela vitória à boa semana de trabalho após as festas de fim de ano e disse acreditar em uma subida de produção do time paulista.

- Depois da pausa de fim de ano, retornamos aos treinos e tivemos uma semana extremamente produtiva. Estamos encontrando nosso jogo nessa Superliga e estamos de parabéns pela semana de trabalho - elogiou Suelen.

Quem também comentou a conquista dos três pontos foi a levantadora Dani Lins, que já está de olho na Copa Brasil – o Sesi-SP tem confronto marcado contra o Banana Boat/Praia Clube (MG) na próxima quinta-feira (16.01).

- O primeiro turno não foi muito bom, jogamos mal em várias partidas. Mas 2014 é vida nova. Agora é ir com tudo para a Copa Brasil - disse Dani Lins, ansiosa para a disputa da competição classificatória para o Campeonato Sul-Americano.

Pelo lado derrotado nesta sexta-feira, Thaisinha não buscou explicar os motivos do revés e sim valorizar a partida das adversárias, assim como a campanha do time de São Caetano.

- Vínhamos de uma vitória boa e importante sobre o Minas, mas hoje não encaixamos nosso jogo, não fomos bem no saque, no bloqueio, e o Sesi jogou bem. Mas nossa campanha está boa e não dá pra desanimar - ressaltou a ponteira.

Visitantes tentam, mas Sesi-SP vence por 3 a 0
No primeiro set, as donas da casa começaram determinadas a sair na frente, e foi o que aconteceu após uma boa participação das centrais e das ponteiras: 21/13.

Na sequência do jogo, mais um bom trabalho do ataque paulista, que praticamente repetiu a pontuação obtida no primeiro set (11 pontos contra 12 do anterior) e ajudou o Sesi-SP a dar mais um passo rumo à vitória: 21/14.

Na última parcial, o time de São Caetano equilibrou as ações na primeira até a segunda parada técnica obrigatória, mas então a oposto Ivna brilhou e as anfitriãs fecharam a partida em 3 a 0 após um 21/17.

EQUIPES
Sesi-SP – Ivna, Fabiana, Bia, Dayse, Pri Daroit, Dani Lins e Suelen (líbero).
Entraram: Suelle e Barbara.
Técnico: Talmo de Oliveira.
São Cristóvão Saúde/São Caetano – Thaisinha, Silvana, Mara, Roberta, Sabrina, Diana e Nine (líbero).
Entraram: Dani, Flavia, Paula e Carol.
Técnico: Hairton Cabral.

Superliga: Com Bosetti MVP, Molico não dá chances ao Maranhão


Preocupado com a ascensão do Maranhão Vôlei/Cemar na Superliga feminina, o técnico Luizomar de Moura pôde respirar mais aliviado assim que a bola começou a rolar no Castelinho, na noite desta sexta-feira (10), para a primeira aparição do Molico/Osasco no returno.
 
Superior em todos os sentidos, o time de fora confirmou o favoritismo e colocou 3 sets a 0 no marcador, com direito a parciais de 21/17, 21/12 e 21/15. E a ponta Caterina Bosetti teve um motivo a mais para deixar São Luís (MA) com uma boa lembrança: ela foi eleita a melhor jogadora da partida.

Com isso, o Molico é o primeiro time da competição nacional a bater a marca dos 40 pontos, resultado das 14 vitórias em 14 partidas disputadas. Já o Maranhão, que contabilizou o 12º revés, estacionou nos cinco e não passou para nenhum concorrente a incômoda lanterna do torneio. 




fonte: saqueviagem.com 

Superliga: No tie-break, Sada Cruzeiro vence o São Bernardo Vôlei


O Sada Cruzeiro (MG) precisou de cinco sets, mas alcançou a 12ª vitória na Superliga masculina 13/14. Neste sábado (11.01), a equipe cruzeirense superou o São Bernardo Vôlei (SP) por 3 sets a 2 (19/21, 21/17, 21/19, 19/21 e 15/10), em 2h08 de jogo, no ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo (SP). A partida foi válida pela segunda rodada do returno da competição.

Com o resultado do jogo, o Sada Cruzeiro se manteve na segunda colocação da Superliga com 37 pontos (12 vitórias e duas derrotas). O Sesi-SP está em primeiro lugar com o mesmo número de pontos, mas com um maior número de vitórias. O São Bernardo Vôlei se manteve na oitava colocação com 15 pontos (cinco resultados positivos e 10 negativos).

As duas equipes voltarão a se enfrentar na quarta-feira (15.01) às 20h pela Copa Brasil. O jogo será disputado às 20h no ginásio do Riacho, em Contagem (MG).

O destaque da equipe cruzeirense no jogo foi o ponteiro Filipe que entrou no jogo no primeiro set para substituir o atacante Diaz e ficou com o Troféu VivaVôlei ao ser eleito o melhor em quadra. O oposto Wallace foi quem mais pontuou no jogo com 19 acertos.

O ponteiro Filipe fez uma análise da partida deste sábado.

- Precisamos respeitar todas as equipes. O São Bernardo Vôlei faz um bom trabalho há bastante tempo e tem formado grandes jogadores. Foi um jogo de muita dificuldade. Sabemos que ainda temos muito o que melhorar e o grupo está de parabéns pela vitória - disse Filipe.
Apesar da derrota, o técnico do São Bernardo Vôlei, Peu, elogiou a postura do grupo durante a partida.

- Foi um grande jogo. Novamente defendemos muito bem, fizemos a diferença no bloqueio, e ainda conseguimos atacar com muita qualidade. Fizemos o possível, mas do outro lado estavam os campeões do mundo - finalizou o treinador.
O JOGO
O jogo começou equilibrado (9/9). Bem no saque, o São Bernardo Vôlei virou o marcador (14/12). O time do ABC Paulista chegou a abrir quatro pontos, mas a equipe cruzeirense cresceu de produção e empatou (19/19). Com dois pontos seguidos de bloqueio, o time da casa venceu o primeiro set por 21/19.
O segundo set seguiu equilibrado (8/8). A parcial continuou disputada ponto a ponto. O ponteiro Leal cresceu de produção no final do set e ajudou o time cruzeirense a fechar o segundo set por 21/17.
O Sada Cruzeiro começou com um forte bloqueio no terceiro set e fez 4/2. No segundo tempo técnico, a vantagem do time cruzeirense era de três pontos (14/11). O central/oposto Michael entrou bem e com um bom saque o São Bernardo Vôlei encostou (18/17). A parcial seguiu equilibrada, o Sada Cruzeiro foi melhor no final e venceu o set por 21/19.
O São Bernardo Vôlei voltou para o quarto set disposto a levar o jogo para o tie-break e fez 13/10. Com um bom ponto de bloqueio, o São Bernardo Vôlei manteve a vantagem (17/14). O final do set foi extremamente equilibrado, mas o time da casa levou a melhor e venceu a parcial por 21/19.
O Sada Cruzeiro começou melhor e fez 4/2. Durante toda a parcial, o time cruzeirense se manteve na frente e venceu o set por 15/10 e o jogo por 3 sets a 2.
SÃO BERNARDO VÔLEI: Rodrigo, Leozão, Ceará, Pedrinho, Matheus e Luizinho. Líbero
Entraram – Canhoto, Michael, Douglas e Ricardo
Técnico – Peu
SADA CRUZEIRO: William, Wallace, Leal, Diaz, Douglas e Éder. Líbero – Serginho
Entraram: Filipe, Paulo e Lucas
Técnico – Marcelo Mendez

Superliga: Pinheiros decepciona e perde para o Minas


Acostumado a aprontar para cima dos grandes, o Pinheiros provou o próprio veneno na noite desta sexta-feira (10), na abertura do returno da Superliga feminina de vôlei. O Minas Tênis Clube que o diga. Então vice-lanterna, o time de Belo Horizonte (MG) surpreendeu e colocou 3 sets a 1 no marcador, com direito a parciais de 20/22, 21/14, 21/15 e 21/16.
 
O resultado foi ainda mais significativo porque foi conquistado na casa das pinheirenses, que amargaram a quarta derrota e caíram uma posição. Agora, as comandadas de Wagão são as quintas colocadas, com 27 pontos, dois a menos que o Banana Boat/Praia Clube, o mais novo integrante do G-4. As minastenistas, por sua vez, foram a dez e passaram para o 12º lugar.

E logo no primeiro set o Minas deu mostras de que não tinha ido passear no Henrique Villaboim. Com um ataque pesado, o time de Marco Queiroga incomodou demais o de Wagão. O set foi bastante disputado até os minutos finais. Mas com Lara, Glau e Andréia o Pinheiros se segurou o quanto pôde para anotar 22 a 20.

O revés não desanimou as mineiras, que foram ainda melhores nos três últimos sets. Inspiradas no ataque, Carla e Alaina viraram bola atrás de bola. A capitã resolveu praticamente sozinha a terceira parcial. Wagão ainda buscou alternativas, colocou Ellen, Aline e Ananda, mas não era dia das pinheirenses. Era dia de Carla e Alaina, que marcaram 17 pontos cada.

fonte: saqueviagem.com

Superliga: Final feminina deve ser em ginásio mais acanhado


A grande decisão da Superliga feminina não deverá ter como palco o Ibirapuera (capacidade para 11 mil pessoas) caso um time paulista termine a fase classificatória na liderança. Agendada para 27 de abril, a decisão das mulheres acontece no mesmo dia de um evento da Tickets for Fun, que garantiu antes a reserva do ginásio.
 
Se não houver desistência ou negociação entre as partes, a CBV precisará recorrer a outras praças. Na Grande São Paulo, há duas opções que atendem ao regulamento, que prevê pelo menos 5 mil lugares para a partida do título: o Poliesportivo de São Bernardo do Campo (5730 lugares) e o José Corrêa, em Barueri (5000).

O primeiro já foi usado para etapas do Grand Prix, Liga Mundial e a decisão da Superliga masculina de 2011/12, envolvendo Sada Cruzeiro e Vôlei Futuro. Além disso, é a casa do São Bernardo Vôlei. O segundo, onde o Barueri manda seus jogos, já sediou as semifinais da Superliga feminina, em 2008/09, entre São Caetano e Osasco. 

Marcada para duas semanas antes, em 13 de abril, a final masculina poderá ser realizada no Ibirapuera se Sesi-SP ou Vôlei Brasil Kirin, os paulistas em melhor posição, terminar a primeira fase na liderança. A maior ameaça é o mineiro Sada Cruzeiro, que hoje ocupa a segunda colocação. A CBV já fez a reserva do Ibirapuera. As informações são do blog Saída de Rede.

fonte: saqueviagem.com

Superliga: Vôlei Amil abre returno da Superliga com vitória e muda o foco para a Copa do Brasil


O Vôlei Amil iniciou o segundo turno da Superliga com a corda toda. Na noite desta sexta-feira (10), em Campinas, as donas da casa conquistaram a quinta vitória consecutiva na competição nacional. Quem fez a festa foi a torcida, que mais uma vez lotou a Arena Amil e viu sua equipe bater o São Bernardo com tranquilidade por 3 sets a 0, com parciais 21/12, 21/14 e 21/13, em 1h01m. Agora, o time do técnico Zé Roberto volta sua atenção para a Copa do Brasil, que será disputada em Maringá (PR), a partir da próxima quinta-feira (16) e vale vaga no Campeonato Sul-Americano de Clubes. O primeiro confronto será contra o Pinheiros.

- Nosso time está jogando cada vez melhor, errando menos e é isso que nós queremos cada vez mais. Na partida desta noite, a defesa voltou a se posicionar bem, o passe também foi eficaz e agora é pensar na Copa do Brasil, que é um torneio importante e muito forte. Vamos jogar contra os melhores times do País em busca de uma vaga no sul-americano. Espero que o Vôlei Amil siga evoluindo, mostrando no ataque e nos contra-ataques a mesma agressividade que apresentou contra o São Bernardo porque sabemos que temos condições de jogar de igual para igual com qualquer time - afirmou satisfeito o técnico Zé Roberto.

Carol Gattaz, que ganhou o troféu VivaVôlei como a melhor em quadra, também estava feliz com a apresentação do Vôlei Amil. 


- Estamos treinando muito forte e conseguindo colocar em prática tudo o que é pedido pela comissão técnica. E quando colocamos nosso ritmo em quadra, o jogo flui e as chances de uma vitória tranquila como esta, aumentam. Mas agora nosso foco estará totalmente voltado para a Copa do Brasil, um torneio muito disputado e que nos dará a oportunidade de uma vaga no Campeonato Sul-Americano - analisou a central.

A maior pontuadora da partida foi Kristin. A ponteira norte-americana conseguiu 11 acertos. Tandara veio em seguida, com nove pontos, seguida por Carol Gattaz, com oito. Walewska e Natália conseguiram sete cada uma, enquanto Angélia marcou duas vezes e Rosamaria uma.

O jogo

 Com Claudinha poupada em função de dores nas costas, coube a Pri Heldes comandar o time em quadra. E a jovem levantadora não decepcionou. Distribuiu bem as jogadas e o Vôlei Amil mandou no primeiro set. Além das boas participações ofensivas de Tandara, Carol Gattaz e Kristin, com quatro pontos cada, o bloqueio e a defesa fizeram a diferença. O resultado foi um contundente 21/12, após 20 minutos.

Sem tirar o pé do acelerador, o Vôlei Amil seguiu dominando a partida. Ao final de 21 minutos, abriu 2 sets a 0 ao fazer 21/14 no segundo set. Com a partida sob controle, o técnico Zé Roberto aproveitou para dar ritmo às suas atletas. A partir da metade da parcial, o treinador colocou em quadra Rosane, Rosamaria e Angélica, que recuperada da cirurgia no joelho esquerdo, fez sua estreia na Arena Amil. Mas o destaque foi Walewska. A central marcou bem o bloqueio e foi eficiente no ataque para se tornar a maior pontuadora do time da casa no set, com quatro acertos.

O São Bernardo voltou para o terceiro set disposto a estragar a festa dos cerca de 1.500 torcedores que compareceram à Arena Amil. Forçando mais o saque, chegou ao primeiro tempo técnico na frente (7/5). Porém, as comandadas de Zé Roberto não perderam a calma. Acertaram a recepção e a movimentação do sistema defensivo para chegar ao empata no 7/7 e em seguida virar o placar. No segundo tempo técnico, a vantagem do time campineiro já era de quatro pontos (14/10). No retorno, Angélica marcou seu primeiro ponto para o Vôlei Amil e foi muita festejada pelas companheiras. Sem sustos, as donas da casa fecharam a parcial por 21/13, em 20 minutos, e a partida por 3 sets a 0.

O Vôlei Amil jogou com Pri Heldes, Tandara, Walewska, Carol Gattaz, Kristin e Natália, com Michelle Daldegan como líbero. Entraram: Stephany, Rosane, Rosamaria e Angélica.

O São Bernardo jogou com Elis, Mari Capovilla, Soninha, Kátia, Giovanna e Dani Vieira, com Killara como líbero. Entraram: Fernanda, Sandra e Sabrina.