domingo, 14 de outubro de 2012

Club World Championship: Em jogo quente, Sada vence a segunda e vai à semifinal


Maior novidade neste Mundial de Clubes, o “desafio” foi usado e abusado por Sada Cruzeiro e Al-Rayyan no encontro deste domingo (14), em Doha, pela fase classificatória. E os celestes conquistaram dupla vitória no Aspire Dome, tomado por uma barulhenta torcida local.

Na bola, os mineiros fizeram apertados 3 sets a 1, parciais de 25/20, 23/25, 25/16 e 25/22. Nas reclamações, o placar geral foi 3 a 2. Nas duas vezes que solicitou o uso da tecnologia, o capitão William faturou os pontos para os celestes. Já Georgi Bratoev, inconformado com a arbitragem, teve acatada apenas uma das três solicitações.

Com isso, o Sada foi a seis pontos ganhos e pegou de volta a liderança do Grupo A, que por algumas horas ficou de posse do Trentino, dono de cinco tentos. Já o Al-Rayyan, com apenas um ponto, disse adeus à próxima fase.

A definição do primeiro colocado da chave sai na terça-feira (16), às 9 horas (de Brasília), no duelo entre brasileiros e italianos. Na sequência, às 13 horas, o Al-Rayyan se despede diante do Tigres, também eliminado das semifinais.

Wallace lidera triunfo do Sada
O Al-Rayyan já tinha dado trabalho ao Trentino na rodada anterior. Ciente dos perigos dos rivais, reforçados por feras do quilate de Rodrigão, David Lee e dos irmãos Bratoev, o Sada começou atento o segundo compromisso em Doha. E logo de cara os brasileiros mostraram sua força, anotando 5 a 3 depois dos quatro toques dos oponentes.
 
A equipe do Qatar até tentou se aproximar do Sada antes do primeiro tempo obrigatório. Mas, depois de fazer 7 a 8, a turma de Rodrigão não conseguiu mais manter o bom ritmo. Já o Sada, mesmo errando mais do que o outro lado, esteve mais regular em todos os fundamentos. O saque funcionou melhor, bem como o bloqueio.

Como consequência, Wallace e companhia ganharam contra-ataques. Só o oposto colocou oito bolas no chão. Acácio, pelo meio, também teve disposição para comemorar seis tentos. Na reta final, o cubano Mendez ainda tentou dificultar a vida dos mineiros. Mas, de bloqueio, o Sada confirmou o triunfo por 25 a 20.

Al-Rayyan empata a disputa
O Sada não conseguiu manter o ritmo agressivo no segundo set. Com muitos erros, os mineiros de Belo Horizonte viram Rodrigão e companhia crescerem na partida. Com isso, antes mesmo da primeira parada técnica, a diferença chegou a ser de três tentos. E ficou ainda maior assim que Felipe parou no paredão rival (6/10).

Depois do início preocupante, os celestes reagiram e diminuíram a vantagem dos donos da casa, que colecionaram erros e mais erros (14/14). E não demorou para o elenco celeste tomar para si o placar, em uma bola fora dos anfitriões. Descontente com a marcação, Bratoev pediu o "desafio". A imagem, porém, mostrou que a bola de fato havia caído fora.

Mais um ponto obrigou Igor Arbutina a solicitar tempo. Mendez foi obrigado a fazer o mesmo no empate de 20 do Al-Rayyan. E os dois times se revezaram na briga pelo topo até o final. Mas o time do Qatar foi mais feliz no momento decisivo e, em 29 minutos, deixou tudo igual no Aspire Dome (25/23).


Celestes dominam adversários
Os mineiros não se abalaram com o revés e abriram bem o terceiro set. Set que teve como protagonista Wallace, como sempre principal referência dos celestes nas bolas decisivas. E foi com inspiração do camisa 8 que a equipe brasileira fez  7 a 5. Mas os vermelhos reagiram rápido e igualaram em 7, após mais uma interferência da tecnologia.

A pedido do capitão Bratoev, o duelo ficou parado por bons minutos para que a arbitragem conferisse as imagens. Depois da checagem e da confirmação da invasão de Douglas, o time de Rodrigão faturou o ponto. Foi o único momento de jogo mais equilibrado. Daí para frente, o Sada pegou de vez o marcador para si e só fez a diferença crescer.

Sem alternativas, Arbutina queimou tempos e realizou substituições. Na prática, porém, efeito não tiveram. E a situação ficou ainda mais difícil com a entrada do cubano Leal, responsável por belas cravadas. No erro dos oponentes, os cruzeirenses foram a 25 a 16 e se aproximaram do triunfo.

Jogadores abusam do “desafio” no movimentado 4º set
Disposto a fazer o segundo tie-break na competição, o Al-Rayyan partiu para cima do Sada na quarta parcial. Atentos, os cruzeirenses frustraram logo a vontade dos rivais, que viram William dar uma de atacante para fazer 4 a 2. Aos poucos, os vermelhos se recuperaram e passaram a jogar mais próximos dos brasileiros.

E por pouco o Sada não perdeu a liderança. Após um ataque pelo meio de Douglas, William discordou da marcação e pediu a revisão da imagem. O “desafio” foi favorável aos mineiros, que comemoraram 10 a 9. O capitão voltou a solicitar o uso da tecnologia ao flagrar os dedos dos adversários na fita da rede. E, mais uma vez, teve razão.

O duelo ficou perigoso para o Sada depois do segundo tempo obrigatório. Precavido, Mendez tratou de brecar a disputa. E o confronto voltou a ser paralisado em mais um pedido de “desafio”, desta vez de Bratoev. A reclamação, porém, não foi adiante. Houve ainda tempo para mais discussões antes do torpedo de Maurício, que colocou um ponto final ao fazer 25 a 22.


Nenhum comentário:

Postar um comentário