segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Club World Championship: Garay diz que saque foi grande responsável pela virada.


O Sollys/Nestlé demorou a engrenar no desafio com o Rabita Baku, realizado nesta segunda-feira (15), pela fase classificatória do Mundial de Clubes. Mas, quando engrenou, não deu qualquer chance às atuais campeãs do torneio, derrotadas de virada no Aspire Dome, em Doha.

E tudo começou a partir do melhor estudo realizado sobre as azeris, que fizeram sua estreia na competição. Por conta disso, o Sollys teve que entender em quadra o jogo das adversárias. .

- Nós conhecíamos as atletas individualmente, mas não sabíamos a questão tática do jogo delas - explicou o técnico Luizomar de Moura, que recorreu às informações recebidas da comissão técnica para ajustar o grupo.

O melhor aproveitamento do saque também foi importante. Ao todo, foram quatro pontos marcados no fundamento. Na prática, porém, o elenco laranja colocou a todo instante a linha de passe das asiáticas em dificuldade.

- Quando melhoramos no saque, tivemos uma evolução em todos os demais fundamentos - observou a ponteira Fernanda Garay, maior pontuadora com 20 acertos.

Mas, para que o saque e o estudo fizessem a diferença, o Sollys também precisou parar de errar. Só na primeira parcial as brasileiras entregaram 12 pontos, mesma quantidade registrada na soma dos três sets seguintes.

- Começamos o jogo errando muito e isso facilitou o primeiro set para elas. Não que elas não tenham tido méritos, mas a partir do momento que diminuímos os erros tivemos mais vantagens - lembrou Garay.

Com a primeira posição assegurada no Grupo A, o invicto Sollys deve enfrentar o porto-riquenho Lancheras de Cataño na semifinal. A confirmação do adversário acontece apenas na quarta-feira (17), com o término das disputas na outra chave. Certo até aqui é que as laranjas brigam por uma vaga na decisão no dia seguinte, às 4 horas (de Brasília), novamente em Doha.
 
Fonte: SaqueViagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário