sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Club World Championship: Trentino não dá chance ao Sada e garante o tetra


Depois de ser responsável pela quebra de um jejum de 21 anos, o Sada Cruzeiro teve a oportunidade de protagonizar mais um feito, nesta sexta-feira (19), em Doha: juntar-se ao Sollys/Nestlé no alto do pódio do Mundial de Clubes.

A dobradinha de brasileiros seria inédita. O desejo, porém, esbarrou no todo-poderoso Trentino, novamente consagrado o melhor time do planeta. Em ritmo frenético, Rapha e companhia não deram espaço para os mineiros, que só conseguiram mostrar um bom voleibol no terceiro set da decisão. Foi tarde.

Por 3 a 0, parciais de 25/18, 25/15 e 29/27, o Trentino aumentou sua hegemonia e se sagrou tetracampeão mundial de forma consecutiva. De quebra, manteve a Itália como único país a fazer campeões na edição masculina do torneio. Ao Sada, restou o consolo de repetir o feito do extinto Banespa, em 1990 e 1991, até então único brasileiro a chegar à decisão. 

Sada parte mal e sucumbe diante do Trentino
Depois de festejar o triunfo do Sollys/Nestlé, a torcida verde-amarela seguiu firme no Aspire Dome, desta vez para apoiar o Sada Cruzeiro. Mas foi o Trentino, também com bom número de fãs, que abriu melhor a decisão do torneio. Com dificuldade na virada de bola, o time de Belo Horizonte tomou seguidos pontos.

Preocupado, Marcelo Mendez precisou intervir, mas a equipe não reagiu. A situação até chegou a ficar mais favorável no erro de Stokr no ataque. Os italianos, porém, não concordaram com a marcação e pediram o “desafio”. No replay, ficou comprovado que a bola havia sido dentro. Assim,  o que era 12 a 10 virou 13 a 9.

Mendez trocou então William por Daniel. Depois, pediu tempo. Nada funcionou. Assustados com a agressividade dos italianos, os brasileiros não conseguiram fazer um bom jogo.  Na reta final, até reagiram, provocando o pedido de tempo de Trento. Mas já era tarde. Com direito a show de Rapha, o tricampeão marcou 25 a 18.

A mil por hora, Trentino atropela Sada
A delegação do Sollys se juntou à torcida pelo Sada no Aspire Dome. Mas nem assim a turma de William se encontrou. Apáticos, os celestes viraram coadjuvantes dos impossíveis italianos, liderados por Juantorena e Kaziyski na linha de frente. Marcelo Mendez agiu rápido e apostou na força de Leal.

O cubano, no entanto, pouco ajudou. Assim como Wallace, tímido na partida. Insatisfeito, o argentino solicitou tempo e pediu para a equipe jogar mais solta, ser mais agressiva. A solicitação, porém, não foi seguida à risca pelo grupo, com dificuldade para conter a força dos vermelhos.

Um dos protagonistas da decisão, Juantorena virou motivo de preocupação na parte final da parcial. Na tentativa de pegar um torpedo de Wallace no saque, o ponteiro exagerou e pulou sobre as placas, preocupando os colegas (16/10). Após ser medicado, o ítalo-cubano voltou à quadra para ajudar o Trentino a anotar 25 a 15.

Sada endurece, mas Trentino leva a melhor
Maurício voltou a ser titular do Sada no terceiro set. Sem nada a perder, a equipe deixou a tensão de lado e jogou mais solta. Por consequência, passou a fazer um duelo mais parelho com o Trentino, que em nenhum momento conseguiu colocar mais de três pontos sobre os celestes.

No embalo, Acácio cresceu pelo meio e se tornou a melhor opção para William. E não foi só isso. No saque, o central também fez a diferença, dificultando o jogo dos europeus. Os brasileiros ganharam confiança e jogaram colados dos adversários. Inspirado em Acácio, Maurício se saiu bem no serviço e ajudou o Sada a virar para 18 a 17.

A torcida se animou e passou a gritar mais forte no Aspire Dome. Preocupado, Radostin Stoytchev tratou de solicitar tempo. Mendez fez o mesmo assim que Wallace explodiu o saque na rede (24/24). Os mineiros tiveram a chance de provocar o quarto set, mas desperdiçaram as oportunidades. Diferente do Trentino, que no erro de Filipe marcou 29 a 27.

 Fonte: SaqueViagem

Nenhum comentário:

Postar um comentário