quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Olimpíadas: Projeto deixa Maracanãzinho com capacidade inferior à exigida pelo COI


A proposta de concessão do Complexo Esportivo do Maracanã promete trazer outras polêmicas além das demolições do Estádio de Atletismo Célio de Barros e do Parque Aquático Julio Delamanre. Na nova configuração do Maracanãzinho, a capacidade do ginásio diminuiria para 9.914 lugares, mais de dois mil a menos dos 12 mil exigidos pela Comitê Olímpico Internacional (COI) para as disputas de vôlei em 2016. As informações são do jornal “O Globo”.

Atualmente com 11.424, o Maracanãzinho já não atendia às exigências do COI. Mas, com o novo projeto de concessão, a situação promete piorar. Com a reforma, o ginásio ganharia uma nova configuração, com a instalação de acessos retráteis. O local ainda receberá duas quadras auxiliares para aquecimento (exigência do COI para 2016) e pequenas mudanças no acesso. A ideia é que o local seja uma arena multiuso e possa ser usada para diversos eventos esportivos.

Segundo o jornal, o Comitê Rio-2016 não participou do processo de estudo de viabilidade econômica desenvolvido desde janeiro pela IMX, empresa de Eike Batista, e que serviu de base para a minuta do edital de concessão de 35 anos do complexo esportivo.

Em nota enviada por e-mail, a assessoria de impresa do Rio 2016 informou que o comitê “está em contato com o governo do estado para examinar o edital do Complexo do Maracanã e fazer possíveis ajustes, caso seja necessário”.
Maracanãzinho pode mudar de nome

A minuta prevê ainda que o concessionário será obrigado a manter o nome do estádio. Já o Maracanãzinho poderá ter o nome alterado, para a geração de receitas.

A ideia é que o novo operador assuma o complexo do Maracanã antes da Copa das Confederações, prevista para junho de 2013. A concorrência abre a possibilidade de participação de empresas estrangeiras. O edital leva em conta não apenas o preço da outorga, mas também a experiência na gestão e na operação de complexos de entretenimento.

Fonte: GloboEsporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário