segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Entrevista: Bernardinho vê riscos em Rio-2016 e prepara "cão de guarda" contra distração de jogadores


O técnico da seleção masculina de vôlei, Bernardinho, já está preocupado com possíveis distrações de seus jogadores durante a Olimpíada de 2016, que acontecerá no Rio de Janeiro. Para ele, jogar um campeonato olímpico no Brasil é uma oportunidade única, mas também pode ser um problema caso os atletas não consigam se manter afastados de assuntos paralelo.

- Imagina a quantidade de amigos e parentes pedindo ingressos, querendo conhecer a Vila Olímpica, essas coisas - disse Bernardinho, durante uma palestra no Rio de Janeiro - Jogar no Rio é muito sedutor, mas a possibilidade de distração é imensa.

Para evitar problemas, Bernardinho disse que deve contar com um “cão de guarda” para isolar seus comandados. Afirmou, inclusive, que espera que comissões técnicas de outros esportes façam o mesmo para que a oportunidade da Rio-2016 não se torne uma decepção.

O técnico foi um dos convidados de um seminário sobre a Olimpíada realizado nesta segunda-feira. Lá, falou sobre a renovação do elenco da seleção masculina de vôlei. Segundo ele, esse processo “está bem encaminhado, mas ainda pode melhorar.”

Bernardinho falou também da derrota na final da Olimpíada de Londres. De acordo com o técnico, a virada da equipe russa sobre a brasileira ocorreu, principalmente, por uma questão física.

Bernardinho disse que faltaram opções na seleção brasileira para conter a reação russa iniciada após a mudança no posicionamento do central Dmitriy Muserskiy, que foi colocado como oposto.

- Não tínhamos um jogador a com condição física que precisávamos - afirmou, lembrando que alguns jogadores da seleção brasileira estavam jogando contundidos.

Na final olímpica, o Brasil vencia a Rússia por 2 sets a 0. Perdeu o jogo por 3 a 2.

Fonte: UolEsportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário