quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Superliga: Sada/Cruzeiro protesta contra erros de arbitragem e vai encaminhar carta de protesto à CBV


A partida entre Sada Cruzeiro e RJX no Maracanãzinho, com vitória para o time carioca por 3 sets a 2 na noite do último sábado, transmitido ao vivo pelo Sportv, gerou uma série de protestos de torcedores nas redes sociais. Em quadra os dois times fizeram um duelo muito disputado, de alto nível, mas que foi manchado pelo grande número de erros cometidos pela arbitragem, erros esses mostrados pelas imagens de TV.

A diretoria do Sada/Cruzeiro protesta veementemente contra o que aconteceu em quadra.

- É inconcebível assistir a um jogo da importância de RJX x Sada/Cruzeiro com uma arbitragem que cometeu, pelo menos, sete erros grosseiros de marcação, sempre em desfavor do mesmo time. Especialmente nas fases finais do jogo, nada demovia os juízes de marcar contra o Sada Cruzeiro, em todas as oportunidades, subvertendo absurdamente o andamento a partida - afirmou o presidente do Sada/Cruzeiro, Vittorio Medioli.

Entre os erros mais gritantes, dois aces e um ataque do central Acácio terminaram em pontos para o adversário.

- Apenas o Acácio teve dois aces e uma finalização, e a arbitragem marcou bola fora. Foi uma vergonha documentada pelas imagens da TV, que no final até os narradores pareciam tentar contornar. Foram pelo menos sete marcações, quatro bolas dentro e três fora, sempre contra o Sada Cruzeiro. Além das intimidações do juiz com advertências e cartões amarelos - protesta Medioli.

- Diante de tudo isso, é necessário que se faça todos os esforços para que seja utilizado o recurso da verificação por imagem ou replay para dirimir as dúvidas, como ocorreu no Mundial disputado no Qatar. Essa medida é inadiável. É uma garantia de isenção para os clubes e a CBV deve ter isso como objetivo. O que está acontecendo hoje é que se dá um cheque em branco aos juízes. Que providências se tomarão contra os responsáveis por esse episódio? Como presidente do Sada Cruzeiro, vou encaminhar uma carta para a CBV e estou estudando todas as medidas cabíveis contra esse tipo de atitude da arbitragem, pois não é a primeira vez que se registra uma escandalosa agressão aos interesses de nosso clube. O que aconteceu no Maracanãzinho mata o esporte, acaba com quem investe nele - conclui o dirigente celeste.

Fonte: MercadoVôlei

Nenhum comentário:

Postar um comentário