quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Superliga: Vôlei Amil não dá bola para o 'fim do mundo' e joga pela liderança da Superliga nesta sexta-feira


Há quem acredite que o mundo acaba nesta sexta-feira (21). Sem dar bola para as apocalípticas interpretações do calendário Maia, o Vôlei Amil entra em quadra mais vivo do que nunca. Contra o Banana Boat/Praia Clube, às 19h30, em Campinas, o time do técnico José Roberto Guimarães busca sua sétima vitória - a sexta consecutiva em oito rodadas -, focado em dar sequência à grande campanha de estreia na Superliga.

Um resultado positivo nesta sexta-feira garantirá ainda a liderança provisória da Superliga à equipe de Walewska, Elitsa Vasilesa, Fernandinha e cia. Isso porque o Sollys/Osasco, que está à frente na classificação geral no critério de desempate, só joga nesta sábado, contra o Usiminas. Desta forma, a torcida Força Azul, que promote lotar a Arena Amil, vai incentivar as comandadas de José Roberto na arquibancada campineira e no dia seguinte secar o rival de Osasco para que o Amil mantenha a ponta de vez.

A rápida ascenção do Vôlei Amil, que além da boa campanha na Superliga tem um vice-campeonato no paulista em sua primeira temporada, tem um nome: trabalho. 


- Temos treinado muito, mas muito mesmo, e até estamos cansadas por causa disso. Mas o resultado vem e a prova disso são as nossas vitórias - afirma a levantadora Fernandinha, que vem de um ano puxado, com direito à medalha de ouro nos Jogos Olímpicos.

Para Daymi Ramirez, o Vôlei Amil é um time bem temperado. 


- Nosso time mescla jogadoras jovens com atletas mais tarimbadas e essa mistura está dando certo. O que uma não tem em determinado momento na quadra, a outra completa. Nos ajudamos sempe. E está muito legal, porque além da nossa experiência, as meninas têm muita vontade, uma força nova - avalia a oposta cubana.

Pedreira - Mesmo com uma formula que já provou sua eficiência, ninguém espera um jogo fácil nesta sexta-feira. O Banana Boat foi o último invicto a cair na Superliga e ocupa a quarta colocação, com cinco vitórias e duas derrotas. 


- O Praia tem um ataque muito forte e, mais do que nunca, nosso bloqueio e defesa terão que funcionar. E é justamente isso o que mais trabalhamos desde a formação do nosso time. Já melhoramos muito, claro, mas temos margem para evoluir - explica a levantadora Fernandinha.

O técnico José Roberto Guimarães, que na terça-feira foi eleito pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), o técnico do ano nos esportes coletivos, assina embaixo das palavras de sua levantadora. 


- Nosso sistema defensivo pode fazer a diferença. Além disso, precisamos manter sempre um bom índice de aproveitamento nos contra-ataques - diz o treinador, que reconhece a dificuldade do adversário desta sexta-feira. Walewska lembra ainda da importância do saque - Temos que jogar bem taticamente com o nosso serviço para quebrar o passe delas. Isso também ajuda no desempenho do nosso bloqueio - completa.

José Roberto Guimarães manterá a base do Vôlei Amil com a levantadora Fernandinha, a oposta Daymi Ramirez, as centrais Walewska, Natasha, as ponteiras Pri Daroit e Elitsa Vasileva, com Suelen como líbero. Ficam a disposição do treinador, as levantadoras Priscila e Rosane, as centrais Andressa e Renata, a ponteira Ju Nogueira e a líbero Killara.

E se o fim do do mundo não acontece nesta sexta-feira, o Vôlei Amil dará uma pausa em suas atividades após o jogo contra o Banana Boat. Aproveitando a folga na tabela da Superliga para as festas de final de ano, José Roberto Guimarães voltará a reunir suas atletas no dia 2 de janeiro de 2013, para iniciar a preparação para o confronto contra o Usiminas, dia 11, em Belo Horizonte, pela última rodada do primeiro turno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário