quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Superliga: Cercada por professores ilustres, a levantadora Roberta, da Unilever, quer evoluir


A levantadora curitibana Roberta Ratzke pode se considerar uma privilegiada. Aos 22 anos e em sua terceira temporada na Unilever, equipe dirigida pelo técnico Bernardinho, a jogadora treinou e jogou ao lado de três grandes destaques da posição: Dani Lins (2010/11), Fernanda Venturini (2011/12) e, nesta temporada, Fofão. Antes, no Pinheiros (2009/10), dividiu a vaga com Fabíola. Quatro professoras de peso que contribuíram em muito para o seu amadurecimento profissional. Mas, afinal, o que essa jovem paranaense vem aprendendo no meio de tantas "feras"?

- Todas sempre me ajudaram muito, em palavras e atitudes. O fato de presenciar o dia a dia delas nos treinos e nos jogos é enriquecedor. Sempre observei tudo, principalmente a movimentação, a visão de jogo de cada uma delas. Quero buscar cada vez mais a regularidade em quadra, uma característica que admiro nessas jogadoras - analisa Roberta, que começou a jogar vôlei aos 8 anos, em Curitiba, no Programa Esporte Cidadão Unilever, coordenado pelo Instituto Compartilhar, que é dirigido pelo técnico Bernardinho.

Por esse motivo, ela sempre se sentiu "em casa" na equipe carioca. Segundo a levantadora, a Dani Lins foi a mais divertida de suas professoras, enquanto Fernanda Venturini, a mais exigente.

- Dei muitas risadas com a Dani. Já a Fernanda me chamava atenção para um detalhe e cobrava o resultado imediato em quadra durante os treinamentos. Aprendi muito com ela, assim como venho aprendendo com a Fofão, que é mais paciente, porém também detalhista em suas observações - conta Roberta, de 1,85m.

A atual mestra, Fofão, aposta que sua companheira de equipe pode ter um futuro brilhante.


- Eu sou baixa e tive que me virar. Ela tem a altura a seu favor, o que facilita o bloqueio, a vantagem de explorar a bola de segunda. A Roberta tem um potencial muito grande e só precisa confiar um pouco mais em seu talento - afirma.

Mestres

Cercada por uma comissão técnica formada por ex-levantadores -, além do técnico Bernardinho, os assistentes técnicos Helio Griner e Ricardo Tabach, mais o fisioterapeuta Guilherme Tenius (Fiapo), o preparador físico Marco Antonio Jardim e o médico Ney Pecegueiro atuaram na posição -, Roberta sabe que está sendo atentamente observada.

- Ela já evoluiu muito e precisa, cada vez mais assumir responsabilidades. O levantador vai amadurecendo com o tempo - esclarece Hélio Griner.

Roberta passou por várias equipes, como Santa Mônica, Paraná Clube e Circulo Militar, todos no Paraná, e jogou, ainda, nos times paulistas de São Caetano (em que disputou sua primeira Superliga), Mackenzie e Pinheiros. Também integrou as seleções brasileiras infanto e juvenil, entre 2006 a 2009, conquistando o bronze no Campeonato Mundial Juvenil do México 2009.

- As cobranças do Bernardo vem aumentando de uma temporada para outra. Ele me cobra cada vez mais liderança, quer atitude, e venho tentando corresponder sempre que sou chamada - diz -Acho que 2013 vai ser um grande ano. Sei que ainda sou nova, mas quero mostrar que, se necessário, estou preparada para qualquer desafio.

Carioca

Em seu terceiro ano no Rio, Roberta já se considera adaptada à rotina dos cariocas e ao calor da cidade.

- Adoro sair do treino e dar um mergulho na praia ou passear de bicicleta na orla. Na verdade, é melhor passar mal de calor do que de frio - brinca, referindo-se à fria Curitiba, cidade onde nasceu e foi criada. - Recentemente, visitei o Jardim Botânico. É lindo! - conta a levantadora, que divide um apartamento com a ponteira Gabi, estreante na equipe.

Uma de suas metas para 2013 é fazer vestibular para entrar na faculdade. Mas ainda tem dúvidas entre fisioterapia e publicidade. Sobre o próximo compromisso da Unilever na Superliga, contra o Sollys/Nestlé, no próximo dia 11, às 21 horas, no Maracanãzinho, Roberta espera mais uma partida difícil.

- O time paulista é o atual campeão e um dos candidatos ao título. Certamente teremos uma rotina puxada de treinos e estudos até lá - afirma.

O jogo contra a equipe de Osasco é válida pela nona e última rodada do turno. A Unilever está em segundo lugar na classificação, justamente atrás do Sollys, ambos com 20 pontos (sete vitórias e uma derrota). O desempate é no set average. Em caso de vitória, o time carioca poderá ser o novo líder da competição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário