sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Superliga: Com Priscila Souza, Rio do Sul volta com força total


Começar o ano de 2013 na nona colocação na Superliga Feminina deixou o time Rio do Sul/Equibrasil com ainda mais vontade de melhorar em quadra e buscar vitórias para dar mais alegrias ao torcedor. A partida contra o Banana Boat/Praia Clube em Uberlândia (MG) na próxima sexta-feira (11) pela última rodada do turno poderá ter o retorno da ponta Priscila ao time após quase dois meses de recuperação de lesão na panturrilha direita.

A jogadora fará exames na próxima segunda-feira para avaliar a possibilidade de sua volta aos treinos e jogos. Ela está desde o final dos Jogos Abertos de Santa Catarina na primeira quinzena de novembro se recuperando e desde então está realizando fisioterapia.

- O retorno da Priscila poderá aumentar nossa força no ataque. Ela foi uma jogadora muito importante na conquista dos jogos abertos e do campeonato catarinense do ano passado e deve melhorar ainda mais a nossa participação no segundo turno - avalia o treinador Rogério Portela.

Já a atleta mal vê a hora de voltar a jogar e fica muito chateada de ver treinos e jogos do lado de fora quase o turno todo da Superliga.

- Não sinto mais dores e agora só quero a confirmação da equipe médica para voltar a treinar com minhas companheiras e fazer o meu papel dentro de quadra - salienta Priscila.

Mas nem tudo é otimismo em Rio do Sul. A derrota diante do Pinheiros na oitava rodada ainda em 2012 não foi muito bem aceita pelo treinador Portela. O grande número de erros, desatenção em lances fáceis ou contra-ataques facilitaram a vitória do time paulista no tie-break.

- Jogávamos em casa e podíamos vencer, mas foi por pouco. São pontos que a gente não pode desperdiçar e muito menos contra equipes que brigam diretamente com a gente por um lugar entre os oito primeiros.

Para que isso não se repita, o treinador intensificou os treinamentos no período de festas e já voltou a treinar no dia 3 de janeiro. Defesa, bloqueio, contra-ataques e o saque foram os quesitos que o treinador mais pressiona as jogadoras por melhorias.

- Nós temos que acreditar em cada bola. Não custa pular mais, se esforçar mais um pouco quando nós dependemos dessa vontade coletiva. Cada jogada acertada pode render um ponto e que pode ser decisivo para um set. Foi o que não ocorreu no último jogo e nós temos de melhorar isso.

Fonte: Melhordovolei

Nenhum comentário:

Postar um comentário