quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Superliga: Vôlei Amil encara o Usiminas/Minas disposto a abusar da hospitalidade mineira em Belo Horizonte

 
Mineiro é um povo com fama de acolhedor e hospitaleiro. Mas nesta sexta-feira (11), Belo Horizonte recebe o visitante mais indigesto da Superliga Feminina 2012/13. Vitorioso em todos os jogos que disputou até agora na competição nacional, o Vôlei Amil luta para manter sua implacável trajetória contra o Usiminas/Minas na partida que começa às 20h, na Arena Vivo, na capital mineira. O duelo é válido pela última rodada do primeiro turno e o time do técnico José Roberto Guimarães vai em busca dos três pontos para tentar subir da quarta colocação geral e voltar a integrar o grupo dos três primeiros colocados da tabela.

Walewska é um bom exemplo do espírito predador do Vôlei Amil. Natural de Belo Horizonte e ‘criada’ no Minas Tênis, ela terá uma torcida particular formada por familiares e amigos. Mesmo assim, só pensa em ver seu time voando em quadra e vencendo. 


- Comecei no Minas, meu primeiro teste foi lá, então, estou voltando pra casa. Vai ser bem bacana, mas isso se conseguirmos fazer um bom jogo e ganharmos - garante a capitã da equipe campineira. Sobre o fato de ser um visitante implacável na Superliga, a central é mais cautelosa - Não acredito muito nessa coisa de dentro e fora de casa. Se o time está bem preparado, bem concentrado, não vai deixar de jogar bem porque está em outra quadra. Por outro lado, é importante ganhar fora, porque, teoricamente, quando jogamos no nosso ginásio a vantagem é nossa e, assim, sempre poderemos somar mais pontos - completa.

Mas a tarefa não deverá ser das mais simples nesta sexta-feira. Em sexto lugar, com cinco derrotas e três vitórias, o Usiminas tem 50% de aproveitamento em seu ginásio. Ganhou dois jogos e perdeu outros dois, porém, entre seus feitos está aplicar um 3 a 0 no Unilever, sendo este o único resultado negativo do vice-líder da Superliga até agora. Por tudo isso, o técnico José Roberto Guimarães mantém o discurso de total respeito ao adversário. 


- O Minas tem um time que joga direitinho. Será um teste importante para nós, pois vamos ter que nos apresentar bem como um todo, acertar em todos os fundamentos, pois vencer lá é sempre difícil. Eles têm feito confrontos duros com todos os times. Além disso, estamos vindo de um resultado traumático (o Vôlei Amil foi superado pelo Praia Clube por 3 a 0, dia 21 de dezembro, em Campinas) e temos de nos recuperar.

Discurso alinhado - As jogadoras do Vôlei Amil estão com o discurso alinhado ao do treinador. 


- Espero que nosso time comece 2013 bem, se apresentando bem, saindo satisfeito de quadra, o que não aconteceu no último jogo. Terminamos 2012 com uma coisinha, assim, que eu gostaria que fosse embora já nesta primeira partida. Mas isso só depende da gente. O Minas tem uma equipe com meninas novas e que estão dando trabalho. Cabe ao nosso grupo fazer a sua parte. Estamos prontas. Nos preparamos bem - diz Walewska. 

Elitsa Vasileva concorda. 

- Vamos para Minas para ganhar. Temos que nos preocupar com o nosso time, em fazer o nosso jogo. E fazer isso bem. A partir daí os resultados virão - afirma a ponteira búlgara.

Fernandinha, aniversariante nesta quinta-feira(10), espera, claro, a vitória como presente. Mas sabe que ela não vai chegar em embrulho com laço de fita, nem virá de ‘mão beijada’. 


- Como sempre, precisamos sacar bem, dificultar a recepção delas, tentar forçar o erro no passe. A partir daí, nosso bloqueio e defesa terão mais facilidade para encaixar e esse é um setor que estamos trabalhando muito desde a formação da equipe - explica a levantadora, que tem como característica principal a velocidade e a ousadia na armação das jogadas.

A primeira vez - Quem fará sua estreia no Vôlei Amil é a ponteira Rosamaria. Integrada ao time dia 2 de janeiro, a jogadora de 18 anos está relacionada para a partida e muito otimista. 


- Vou para o banco e fico à disposição. Assim, espero jogar - afirma.

O técnico José Roberto mantém viva as esperanças da jovem atacante. 


- A Rosa é uma atleta com um futuro interessante pela frente e muito a crescer. É a cara do nosso time, mesclado com jogadoras mais experientes e mais novas, em evolução. Ela tem um biotipo bom, com 1,85m de altura, e é habilidosa. Fiquei feliz com a chegada dela. Agora é lapidar mais um pouco, fazer com que ela fique mais forte, ganhe mais um pouco de músculo. O fato de ela já estar em um time de ponta como o Amil é muito importante para ela. Atuar com grandes jogadoras, com enorme experiência, como a Walewska, Daymi e Fernandinha, por exemplo, e observar como elas fazem para ser essas grandes jogadoras. Isso vai fazer com que ela cresça. E espero que ela tenha a chance de jogar nesta sexta-feira, que o andamento da partida permita que a gente tenha oportunidade de colocá-la, mesmo que em uma participação pequena, para que ela sinta o gostinho de pisar em quadra e fazer parte efetiva desse time - finaliza o técnico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário