segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Superliga Feminina: Em jogo de cinco sets Unilever bate Praia fora de casa

A Unilever precisou usar quase todo o banco para conseguir sair de Uberlândia (MG) com a 13ª vitória na Superliga feminina de vôlei. Sem jogar bem, e com muita dificuldade para executar as ações de passe, a melhor equipe do torneio mostrou força para derrubar o valente Banana Boat/Praia Clube em 3 a 2 (26/24, 23/25, 25/19, 21/25 e 15/10).

Com o triunfo no campo adversário, o elenco de Bernardinho foi a 36 pontos e se manteve firme na ponta da competição, com três de frente para o Sollys/Nestlé, agora isolado na segunda posição. A equipe de Spencer Lee, que conheceu a primeira derrota diante da torcida, foi a 31 e continuou na terceira colocação.

O Praia Clube nem vai ter tempo de respirar após o duro duelo com a Unilever. Na sexta-feira (21), às 21 horas (de Brasília), o rival da vez é o atual campeão Sollys. Já as cariocas têm, no papel, um rival menos árduo na sexta rodada do returno. E é no interior de Santa Catarina, com o Rio do Sul, a partir das 18h30.

                                                                                                                                                                                                                                                                               Luiz Doro/adorofoto

Unilever e Praia Clube lutaram pela vitória até o quinto set

Praia sofre apagão e toma grande virada
O Praia Clube teve a seu favor um caldeirão em Uberlândia para impressionar as líderes da competição. Alheia aos torcedores rivais, Pavan comandou as primeiras jogadas com ataques certeiros. As donas da casa, no entanto, foram mais felizes nas bolas de contra-ataque e, com isso, chegaram a 8 a 6.

No embalo de Pavan, a Unilever buscou rápido o Praia Clube (8/8). Mas o bom rendimento no contra-ataque, combinado aos erros das cariocas no passe e no ataque, levou o elenco mineiro a uma margem confortável de quatro tentos (13/9). Insatisfeito, Bernardinho pediu tempo. As visitantes, no entanto, não minimizaram as falhas, para felicidade das mandantes (16/12).

Em melhor momento, as praianas deram show no fundo e não desperdiçaram as chances na rede. O bloqueio também compareceu, resultado do bom saque. Nem Pavan conseguiu ultrapassar a barreira rival. Com isso, Bernardinho optou pela inversão do 5-1. E deu certo. As cariocas emplacaram uma incrível sequência de seis pontos e viraram para 26 a 24.

                                                                                                                                                                                                                                                                                       Luiz Doro/adorofoto

Unilever, de Jucy, fez seis pontos seguidos e venceu o set
 
Praia toma sufoco no fim, mas leva a parcial
Roberta e Bruna, duas protagonistas da virada, voltaram para o banco no segundo set. Já o Praia não sentiu a perda da parcial e pressionou as rivais, resultado do bom saque. Pavan e Logan Tom, no entanto, não deixaram as anfitriãs abrirem vantagem e recolocaram as cariocas no jogo (6/6).

As meninas de Spencer Lee não se abalaram e voltaram a criar gordura. Bernardinho não pensou duas vezes e fez a inversão do 5-1, com Roberta e Bruna, a mesma que deu certo na parcial inaugural. Por um momento, a troca até fez bem ao grupo, que passou à frente. As mineiras, no entanto, se recuperaram rápido, animando a torcida da casa (16/11).

Bernardinho tirou então Logan Tom e Natália, promovendo a entrada de Régis e Gabi. Mas nem com a dupla reserva a Unilever conseguiu tirar a diferença. Diferença que só cresceu com os bons saques e ataques das irmãs Pavão. Isso até o apagão imperar do lado das meninas de Uberlândia, que passaram sufoco para anotar 25 a 23.

                                                                                                                                                                                                                                                                                 Luiz Doro/adorofoto

Time de Fabi sofreu o empate no segundo set
 
Com Gabi e Régis, Unilever faz 2 a 1
Gabi e Régis foram mantidas no terceiro set do lado da Unilever. Mas, para desespero de Bernardinho, a dupla também não melhorou o rendimento do passe. Desta forma, Fofão precisou correr bons metros para colocar as atacantes em condições de jogo. Ainda assim, foram as cariocas a chegar em vantagem à parada obrigatória (8/7).

E Jucy e companhia só não perderam o controle da partida porque o bloqueio e o ataque compensaram. Com Gabi no saque, o cenário ficou ainda mais favorável às visitantes, que abriram quatro tentos (10/14). Sem ver o grupo reagir, após a conversa no tempo técnico, Spencer pediu tempo com 18 a 13.

De nada adiantou. Com Pavan bem na virada, a Unilever marcou outros dois pontos, obrigando Spencer a promover a inversão do 5-1. Como última alternativa, ele pediu tempo (14/22). E fez bem. O Praia emplacou uma sequência, fruto dos bons bloqueios. Mas as visitantes não quiseram saber de passar sufoco e fecharam em 25 a 19.

                                                                                                                                                                                                                                                                              Luiz Doro/adorofoto

Cariocas mostraram força nos momentos finais do set


Praia provoca o tie-break
Praia Clube e Unilever concentraram o jogo nas centrais no início do quarto set. Desta forma, o jogo se manteve equilibrado, sem que nenhum lado abrisse vantagem. Isso até Monique se dirigir ao saque. Régis sentiu de perto o veneno e não segurou a recepção. Bom para o sexteto anfitrião, que esteve solto nos primeiros minutos da parcial.

Insatisfeito com o mau rendimento do grupo, Bernardinho tratou de pedir tempo. Mas a turma de branco não se livrou dos erros, tampouco da má recepção. E a situação ficou mais difícil diante do bom trabalho tático das praianas, eficientes tanto no fundo quanto na frente. Desta forma, o representante de Uberlândia chegou ao tempo técnico com 16 a 11.

Régis pagou pela situação irregular e saiu para a entrada de Natália (17/11). Logo depois, o treinador solicitou tempo e promoveu a inversão do 5-1. A reação das visitantes ligou o sinal de alerta do lado preto e amarelo, que parou o confronto com 21 a 16. Apesar do sufoco final, o Praia fez a festa da torcida ao marcar 25 a 21.

Unilever domina tie-break e fatura a vitória

Sem conseguir encontrar a melhor dupla de ponteiras, Bernardinho deu confiança para Natália e Gabi no quinto set. A jovem atacante se virou bem e levou a Unilever ao empate de 3. Daí em diante, o elenco embalou e abriu uma boa diferença. Spencer parou então o duelo e, na sequência, escalou Alice para melhorar o passe.

Mas as concorrentes não pararam de marcar pontos. No golpe firme de Natália, a Unilever saltou para 11 a 6. Spencer tentou diminuir o ímpeto das cariocas e solicitou tempo. De nada adiantou. A turma de Fabi e Fofão não perdeu a concentração e faturou o triunfo em 15 a 10, após ataque preciso de Jucy. Gabi foi eleita a melhor da partida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário