quinta-feira, 28 de março de 2013

Mercado Nacional: Praia não descarta Paula Pequeno.


Após realizar sua melhor campanha na história da Superliga feminina de vôlei, com o quinto lugar na atual edição, o Banana Boat-Praia Clube quer alçar voos mais altos na próxima temporada. O time de Uberlândia já renovou contratos de sete jogadoras do atual elenco e, para incrementar, pode repatriar a ponteira Paula Pequeno, bicampeã olímpica com a seleção brasileira.

Aos 31 anos, ela está no Fenerbahce-TUR, mas dificilmente permanecerá no clube. O vínculo de Paula com a equipe turca está prestes a terminar, e a tendência é que a jogadora volte a atuar no Brasil.

Atento à movimentação do mercado, o Praia Clube não descarta abrir negociação para contratá-la.

- Nós não descartamos uma negociação com a Paula Pequeno, mas, na realidade, ainda não há nada de concreto. Até estamos em contato com o empresário dela, mas, realmente, não fizemos nenhum contato oficial - explica André Lelis, gerente de vôlei do Praia Clube.

Na semana passada, a jogadora participou de um videochat com seus fãs pelo Twitter e citou o Praia Clube como um possível destino caso ela volte ao vôlei brasileiro.

O Unilever, do técnico Bernardinho, também é uma opção analisada pela jogadora.

A contratação de Paula Pequeno é um sonho antigo do time de Uberlândia. No ano passado, antes do início da Superliga, a equipe chegou a negociar com a atleta, que à época, estava de saída do extinto Vôlei Futuro-SP.

No entanto, as negociações não avançaram e a ponteira acabou se transferindo para o Fenerbahce.
Paula será submetida em breve a uma pequena cirurgia no joelho, mas nada que, preocupe o andamento de sua carreira.

"É algo simples! Creio que um mês ou até menos seja o ideal para eu voltar às quadras", garante a jogadora brasileira.

Sigilo. Além de Paula Pequeno, o Praia Clube trabalha com nomes de outras jogadoras para reforçar seu elenco. Segundo André Lelis, a intenção é contratar ao menos mais uma jogadora de alto nível, que até poderia ser estrangeira.

Como trabalha com diversas hipóteses, o clube faz sigilo sobre demais nomes que podem chegar.

- Agora que montamos uma equipe-base, estamos conversando para contratar outras atletas. Estive em contato com cinco agentes de jogadoras estrangeiras e também da seleção brasileira. Nossa intenção é montar um grupo forte - garante o dirigente do clube do Triângulo Mineiro.

fonte: otempo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário