segunda-feira, 18 de março de 2013

Superliga: Luizomar responde a críticas de super time enaltecendo a ousadia e dedicação de Osasco



O projeto do voleibol na cidade de Osasco garantiu na última sexta-feira sua 12ª participação seguida em finais de Superliga Feminina. De todas as presenças essa é a quarta desde que a Nestlé assumiu o comando do clube. Os méritos deste time vitorioso são divididos entre o antigo patrocinador, no caso o Bradesco, e a Nestlé, que fez com que o projeto continuasse em 2009 e desde que o time passou a se chamar Sollys/Nestlé já conquistou duas Superligas, um mundial de clubes e o tetracampeonato Sul-Americano. Feliz com mais uma final, o técnico Luizomar de Moura rechaça as críticas de “super time” e destaca a coragem e a perseverança no processo de formação do Sollys/Nestlé.

“Essa equipe não foi montada de uma hora para a outra. O resultado do sucesso deste time se resume em duas palavras: coragem e perseverança. Esse grande time só foi montado porque essa comissão técnica teve a coragem de há sete anos lançar uma Adenízia, uma menina que tinha muito sucesso nas categorias de base e que assumiu a titularidade de uma grande equipe e de pegar uma Brait que tinha acabado de sair do juvenil e colocar na equipe principal. Além disso, contratamos a Fabíola, que vinha se destacando em um time médio, e que de repente assumiu a titularidade de uma equipe com grandes atacantes e que sempre briga por títulos. Já a perseverança aparece quando esse grande projeto não teve o imediatismo na busca por títulos. Em muitas ocasiões saímos derrotados, mas continuamos acreditando no voleibol, na Superliga e neste momento estamos sendo recompensados por essa 12ª final consecutiva. É uma história com dois patrocinadores, mas o projeto persistiu por causa da crença e deixando de lado o imediatismo que vários outros patrocinadores que passaram pela Superliga tiveram. Esse time saiu derrotado algumas vezes e continuou brigando pelo seu espaço e para chegar à disputa por títulos”, explicou o treinador.

Além das apostas em Camila Brait, Adenízia e Fabíola, o Sollys/Nestlé também apostou na contratação da ponteira Fernanda Garay, que acertou sua chegada ao clube laranja antes mesmo de ser titular da Seleção Brasileiras nos Jogos Olímpicos de Londres-2012. Um grande campeão nas divisões de base do Brasil, Luizomar demonstra enorme satisfação nas apostas que fez nas então jovens Brait e Adenízia, porém, destaca também a importância das três atletas mais experientes do seu time, no caso, a oposta Sheilla, a central Thaísa e a ponteira e capitã Jaqueline.

“As jogadoras consagradas como Sheilla, Jaqueline e Thaísa me auxiliam demais. A Thaísa está cada ano mais madura; a Sheilla, apesar de tudo que representa se mostra uma atleta extremamente humilde e trabalhadora; e a Jaqueline é uma jogadora que compõe essa equipe como poucas e é imprescindível em qualquer equipe do mundo. A Jaqueline é uma jogadora que tem um fundo de quadra maravilhoso e que consegue, junto com a Camila Brait e a Fernanda Garay, fazer com que as nossas centrais consigam jogar”, declarou o comandante.

O Sollys/Nestlé regressa aos treinos visando à final da Superliga nesta terça-feira. A decisão da edição 2012/13 da competição nacional acontece no próximo dia 07 de abril (domingo), às 10h, no Ginásio Ibirapuera, diante da Unilever. Esta será a nona final consecutiva entre o time de Osasco e a equipe carioca, sendo que, quatro delas entre o Sollys/Nestlé e a Unilever. O Sollys é o atual campeão e conquistou o título da temporada passada vencendo as cariocas no Ginásio Maracañazinho, por 3 sets a 0.

Um comentário:

  1. que mentira né Luizomar....
    com uma seleção brasileira em quadra me faz pensar que a sua participação la é mera fachada!!!
    Essa superliga feminina não tem graça alguma, Osasco tem sim um supertime composto por jogadoras de seleção, o que faz desse torneio e algo mto injusto e sem graça.

    ResponderExcluir