quarta-feira, 27 de março de 2013

Vôlei Internacional: Ameaçada por dirigente, jogadora brasileira é impedida de deixar a Itália



Jaline Prado de Oliveira, que nos anos 2000 defendeu Flamengo e Vasco, está sofrendo para deixar seu atual clube na Itália.

Jaline defendeu até dezembro o Soverato, da segunda divisão italiana, quando ocorreu um episódio lamentável. A atleta foi ofendida pelo presidente do clube, Antonio Matozzo, que disse que lhe daria um chute na bunda caso ele não fizesse mais de 30 pontos por jogo.

Após ser tratada como cachorro, como ela mesmo destacou, a oposta recorreu a Justiça para poder deixar o clube e o país, mas vem encontrando dificuldades.

“No contrato das estrangeiras, a equipe é obrigada a pagar a passagem de ida e volta. Meu bilhete era para 27 de maio, mas era só mudar a data para do dia que eu iria viajar, quinta-feira passada. Só que ele ficou com raiva porque eu declarei a verdade, foi na agência e anulou o meu bilhete pedindo o reembolso, que foi uma mixaria de 40 euros para uma passagem que custou 1400 euros”, declarou Jaline, que enquanto tenta resolver essa pendencia, fez questão de denunciar o dirigente a polícia.

“Com um comportamento desse não precisa nem dizer que tipo de ser humano ele é. A Justiça de Deus não falha, Ele será meu o advogado e me enviará anjos protetores para me dar forças e eu não desistir”, disse a jogadora em entrevista ao portal R7.

Por enquanto, Jaline tem tido a Justiça a seu favor. Além de conseguir o direito de receber todo o valor que consta em contrato, ela também já o processou por difamação e calúnia. Caso não pague, o dirigente terá seus bens penhorados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário