segunda-feira, 8 de abril de 2013

Entrevista: "Emoção não se treina, é coisa de momento", diz Fabi, da Unilever



Poucas horas de sono, muitos autógrafos, fotos e entrevistas, além da vontade de assistir repetidamente ao vídeo do jogo. Assim tem sido o dia seguinte das jogadoras da Unilever, que, neste domingo (dia 7), conquistaram o oitavo título da Superliga, ao vencer, de virada, o Sollys/Nestlé, por 3 a 2. A líbero carioca Fabi, que foi literalmente para a torcida no ginásio do Ibirapuera (SP), local do jogo, para comemorar a vitória, conta que dormiu apenas 4 horas durante a noite, mas mostrou ainda muito fôlego para cumprir sua agenda de compromissos do dia. "Seria bem pior a insônia causada pela derrota", brinca a jogadora, que soma agora seis títulos nacionais com a equipe de Bernardinho.

Bicampeã olímpica, Fabi, de 33 anos, não se cansa de ver os detalhes da partida, principalmente a partir do terceiro set, quando começou a reação da Unilever, que perdia por 2 sets a 0. "Tenho certeza de que, mais do que tática, a vitória veio com a lucidez do time em quadra e com o coração. Emoção não se treina, é coisa de momento. Foi muito bom vencer de virada, na cada do adversário", diz. Segundo ela, o técnico Bernardinho esteve muito sereno durante toda a partida, o que tranquilizou as jogadoras mais novas. "Tudo isso foi dando força ao time. Temos um grupo que, junto, tem um poder muito grande", acrescenta Fabi, responsável por defesas espetaculares durante o jogo decisivo.

O sorriso da ponteira Natália, que acaba de completar 24 anos, mostra o quanto está feliz com a conquista. "A ansiedade atrapalhou a gente no início do jogo. O Bernardo passou tudo o que a gente precisava fazer e não conseguimos colocar em prática. Foi uma das viradas mais emocionantes da minha carreira", garante Nati, que ficou 1 ano e três meses sem poder jogar devido a duas cirurgias na canela esquerda para a retirada de um tumor benigno. "Só me senti a Natália de antes a partir das quartas-de-final desta Superliga. Estou muito feliz por poder retribuir tudo o que a Unilever fez por mim. Se não tivesse tido todo esse cuidado da Comissão Técnica do time poderia até não estar jogando", acrescenta.

Logo após a conquista do octocampeonato da Superliga, a equipe foi comemorar o título numa churrascaria em São Paulo. Durante a confraternização, cada jogadora ganhou de presente um kit com produtos da Unilever e uma joia. O técnico Bernardinho também foi homenageado por Fabi e Fofão, que entregaram a ele um Troféu VivaVôlei.

A equipe Unilever terá uma semana de folga e irá se reapresentar, inicialmente, na próxima segunda-feira, no ginásio da Esefex, na Urca. Como atual campeã da Superliga, o time disputará o Campeonato Sul-Americano de Clubes, de 1º a 5 de maio, no Peru.

Nenhum comentário:

Postar um comentário