quarta-feira, 10 de abril de 2013

Superliga: Lucão procura manter a tranquilidade no RJX às vésperas da final


Destaque nas estatísticas de bloqueio e saque e ainda presente e na lista dos maiores pontuadores da Superliga masculina de vôlei 12/13, o central Lucão é um dos jogadores de maior evidência em um grupo de várias estrelas que formam o RJX (RJ), finalista da competição. Na semana que antecede a grande final, no próximo DOMINGO (14.04), às 10h, contra o Sada Cruzeiro (MG), Lucão não se abala e mantém a tranquilidade habitual.

Dono de três prêmios de melhor jogador da partida, o Troféu VivaVôlei, nesta Superliga12/13, Lucão afirma que a melhor forma de encarar uma decisão é mantendo a tranquilidade, mas faz questão de ressaltar que isso não pode ser confundido com apatia. O central do RJX já viveu a experiência de comemorar o título da principal competição de vôlei do país nas temporadas 07/08, 08/09 e 09/10, quando defendia a Cimed, de Santa Catarina.

Considerado um dos jogadores de segurança do levantador Bruninho, Lucão é acionado constantemente e corresponde ao esperado. Segundo as estatísticas oficiais da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV), o central é o segundo mais eficiente no bloqueio, o quinto no saque e o quinto maior pontuador do campeonato até agora. Os ataques potentes, os bloqueios eficientes e os saques forçados, que se transformam facilmente em aces, chamam a atenção e fazem de Lucão um dos mais queridos da torcida carioca.

Leia a seguir entrevista do central Lucão, sobre a grande final do campeonato.

Como você se sente às vésperas da grande final?
- Por enquanto, estou tranquilo. Claro que na noite anterior bate um pouco de ansiedade, mas isso passa na hora que entro em quadra para alongar. Procuro manter essa calma, principalmente quando os outros jogadores estão muito nervosos, pois tento passar um pouco dessa tranquilidade para eles. Acho que assim conseguimos raciocinar melhor e isso é importante em uma partida decisiva.

Qual a avaliação da sua participação na Superliga 12/13?
- Acho que foi uma Superliga extremamente positiva. Consegui fazer um campeonato muito regular e esse foi o grande diferencial da minha atuação. A regularidade é fundamental para um bom campeonato e, com exceção da segunda partida da semifinal contra o Vivo/Minas, em Belo Horizonte (MG), acho que consegui manter uma boa atuação. Isso se deve à preparação física e ao intervalo que tivemos entre a seleção e a Superliga. Tivemos um tempo importante para fazer uma boa preparação.

Como está o RJX para essa decisão?
- Estamos bem. Acredito que todo o time está conseguindo manter a tranquilidade que tivemos nos últimos jogos e, como disse, considero esse um ponto fundamental para uma boa atuação, principalmente em uma partida decisiva.

A afinidade entre você e o Bruninho é fundamental para um bom rendimento do time?
- Ajuda, sem dúvida. Temos realmente uma afinidade e um entrosamento grandes e foi assim o campeonato inteiro, com o Bruno sempre me acionando bastante. Mas sabemos que, em uma final, é necessário mais do que isso. É preciso que todo o grupo esteja bem. É muito difícil só um jogador sobressair em uma decisão. Quanto mais para vencer o Sada Cruzeiro, que é um time muito forte. Com certeza vai ser preciso a boa atuação de todo o time do RJX.

Como avalia o adversário da final?
- O Sada Cruzeiro tem uma equipe muito forte, com um potencial grande de ataque e que, quando o saque entra, faz estrago. Como coletivo, tem uma força muito grande, até pelo tempo em que eles estão juntos. Eles têm praticamente o mesmo grupo que foi campeão da Superliga passada e, sem dúvida, isso ajuda muito. Teremos que jogar muito bem para conquistar esse título.

Nenhum comentário:

Postar um comentário