sexta-feira, 5 de abril de 2013

Superliga: Unilever busca oitavo título da Superliga neste domingo


Heptacampeã da Superliga, equipe mais vencedora da história da competição, a Unilever entra em quadra neste domingo, às 10 horas, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, em busca de seu oitavo título nacional. Na decisão da temporada 2012/13, o time carioca volta a estar frente a frente com o Sollys/Nestlé, adversário das últimas oito finais consecutivas - a Unilever venceu cinco e o time de Osasco, atual campeão, três. A partida será transmitida ao vivo pela TV Globo e pelo Sportv.

Segundo o técnico Bernardinho, que comanda uma das comissões técnicas mais sólidas do esporte brasileiro, junta há 16 anos, o jogo promete ser dos mais difíceis. Embora conte com uma equipe também bastante experiente, ele lembra que o adversário tem a base da seleção brasileira, com cinco jogadoras campeãs olímpicas em Londres/12.
- Ambas as equipes se conhecem bem. Nós precisamos errar pouco, jogar e lutar até a última bola. Elas têm um grupo excepcional, mas vamos com tudo para a partida. O jogo é jogado - avalia ele - Nossa equipe, teoricamente, tem mais limitações e o que torna essa final ainda mais desafiadora - acrescenta.

Apesar de ser a nona final consecutiva entre o time carioca e o de Osasco, a disputa também deverá ter sabor de novidade, para Bernardinho. 


- As equipes mudam de uma temporada para outra, o que dá o diferencial. Por isso, cada final é diferente, com um significado diverso da anterior - garante. 

Para a capitã e levantadora Fofão, de 43 anos, que se tornará a jogadora mais velha a subir ao pódio na história da Superliga, serão seis contra seis em quadra e tudo pode acontecer. 


- Como é um jogo único, a técnica pode não ser o fator mais importante, dependendo do momento. Vai ser uma verdadeira guerra, com um equilíbrio muito grande entre duas equipes que se conhecem bem, então cada detalhe precisa funcionar - explica. 

Já a carioca e líbero Fabi, que tem cinco títulos nacionais conquistados pela Unilever e está na equipe desde 2005, torce por um grande espetáculo. 


- No domingo, quero que os torcedores possam assistir ao melhor jogo do campeonato. O que o que se espera dessa partida é equilíbrio. Estamos fazendo a nossa parte, estudando bastante, treinando, já que enfrentaremos um adversário de muitas qualidades - conta - Mas todos sabem que vôlei se joga na quadra. - Desde terça-feira, quando chegamos a São Paulo, o clima já é total de decisão.

Uma das mais experientes do grupo, com 33 anos, Fabi tem conversado muito com a caçula Gabi, de apenas 18 anos. 


- A Gabi surpreende, às vezes a gente até esquece que ela tem dezoito anos. Tenho dito pra ela viver esse momento bacana. Com dezoito anos eu nem sonhava em disputar uma final de Superliga. Espero que ela acorde com toda a alegria inerente a alguém tão jovem, e que esteja inspiradíssima - revela a líbero. 

Nesta sexta-feira (dia 5), a Unilever treinou no período da manhã, com direito a mais uma aniversariante do mês. Depois de Natalia, que completou 24 anos na quinta-feira, a líbero Juju Perdigão ganhou o carinho do grupo pelo seu aniversário. Ela completou 23 anos.

Retrospecto favorável

As duas equipes finalistas, Unilever e Sollys/Nestlé, se conhecem bastante. Elas já se enfrentaram 69 vezes desde 1997, com vantagem para a equipe carioca em número de vitórias: 38. O time paulista venceu 31 vezes.

Na atual temporada, os dois times jogaram duas vezes, com uma vitória para cada lado. No turno, no Rio de Janeiro, a Unilever venceu por 3 sets a 2. No returno, em Osasco, o time adversário deu o troco e garantiu a vitória pelo mesmo placar. Esta é a 12ª final da equipe Unilever, a nona consecutiva, sempre diante do tradicional rival. Nas duas últimas edições, as equipes se revezaram no lugar mais alto do pódio. A Unilever venceu a edição 2010/11, no Mineirinho, em Belo Horizonte, por 3 a 0. Na temporada 2011/12 a vitória foi de Osasco, no Maracanãzinho, também por 3 a 0.

Nenhum comentário:

Postar um comentário