sexta-feira, 7 de junho de 2013

Mercado Nacional: Sem pressa para definir futuro, Murilo conversa com Rio de Janeiro


Murilo tem tido dias mais tranquilos. Ao se ver livre da tipoia que mantinha seu braço direito imóvel, o ponteiro deu mais um passo rumo à recuperação da cirurgia no ombro que enfrentou há um mês. O jogador, no entanto, ainda tem um longo caminho para voltar às quadras. A camisa que vai usar no retorno ainda é indefinida. Sem clube depois de o Sesi-SP decidir não renovar seu contrato, Murilo não tem pressa para acertar com uma nova equipe, mas admite a negociação avançada com o Rio de Janeiro.

Campeão da última edição da Superliga, o Rio de Janeiro passou por um período de incertezas diante das dificuldades financeiras de seu principal patrocinador. Mas, com uma nova empresa como apoio, a equipe vê Murilo como a contratação ideal depois de perder nomes como Lucão e Theo. O ponteiro afirma que seguirá no Brasil, mas diz que o acordo com o clube carioca ainda não foi fechado.

- Vou ficar no Brasil, não vou sair agora. Ainda não estou 100% certo, mas estou conversando. O Rio é um dos contatos, não vou negar. Está passando por mudanças, por uma reformulação. É uma das possibilidades. No momento que se concretizar ou não, vão querer informar e eu também. Afinal, é o meu futuro que está em jogo.

Em um mercado quase fechado, o Rio aparece como destino mais provável de Murilo - e, por consequência, de Jaqueline, que ainda não renovou com Osasco. O ponteiro chegou a conversar com Giovane, que busca um patrocinador para montar uma nova equipe em Barueri. Mas, diante das dificuldades do técnico, a equipe carioca deve ser o caminho a ser seguido pelo jogador.

- O Cruzeiro já fechou o time, não tem como. O Sesi também fechou – e já tinha fechado bem antes até (risos). Poderia ser o Campinas, mas não houve o contato. Tem o projeto do Giovane, mas que não saiu do papel ainda. Existe um interesse muito grande da Prefeitura de Barueri, mas não tem como bancar o projeto inteiro. Eles se colocaram à disposição para montar a categoria de base, que seria muito legal, um projeto olímpico, e ceder o ginásio, que é uma bela arena. Mas precisaria de um patrocinador. Fora isso, não há mais nada.

Murilo afirma que não pretende apressar o acerto. Diante do longo caminho que ainda tem até a recuperação, afirma que o contrato tem de ser bom para as duas partes.

- Eu não quero apressar. Tem de ser um negócio bom para mim e para o clube que eu vou jogar. O clube tem de estar ciente da minha recuperação, não posso apressar as coisas. Ter de jogar dia tal, isso é difícil, complicado. Tem de estar bem acordado entre as duas partes. Se precisar demorar um pouco mais, eu espero.

Mas, fora das quadras, Murilo sente falta de sua antiga rotina. Durante a recuperação, chegou a visitar um treino da seleção brasileira antes da viagem para a Rússia, na preparação para a Liga Mundial.

- Sinto falta de treinar. Eu sempre gostei. Estou sentindo falta das viagens, falo direto com o Bruno e o Chupita, que estão com a seleção. Fico vendo fotos no Instagram, Twitter, essas coisas. Fui até o treino antes de eles viajarem para a Rússia, fiquei babando para treinar. Isso está me fazendo bastante falta. Às vezes reclamamos do cansaço, mas quando ficamos sem, sentimos muita falta.

O ponteiro diz que o retorno não deverá ocorrer em menos de cinco meses. Murilo diz que tem encarado a recuperação de forma tranquila, sem apressar. Mas prevê dias melhores para quando voltar às quadras.

- Estou muito mais livre, apesar de não estar com o movimento completamente normal. Não posso pegar peso, fazer muita força. Estou mais livre. Quando terminar esse processo, vai ser muito melhor. Quando acabar a dor, quando eu voltar a treinar. Não sei se em seis meses eu vou estar livre das dores, porque vou ter acabado de voltar a treinar, voltar à rotina de treinos. Mas o mais importante é que vou estar dentro de quadra.

Fonte: GloboEsporte

Nenhum comentário:

Postar um comentário