sábado, 29 de junho de 2013

Superliga: CBV, árbitros, atletas e treinadores se reúnem por avaliação e propostas


Representantes de árbitros, atletas, treinadores e da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) fizeram um encontro inédito nesta SEXTA-FEIRA (28.06), em São Paulo, para avaliar a última edição da Superliga e definir propostas para a próxima temporada. O principal ponto em pauta foi a busca por ações que tornem as partidas mais dinâmicas e, consequentemente, com uma duração menor.

- É uma iniciativa para tornar a Superliga um produto ainda mais interessante para todos. Acredito que alcançamos o objetivo que tínhamos aqui - afirmou o superintendente técnico da CBV, Renato D’Ávila.
O sentimento de satisfação foi compartilhado por todos os presentes. Árbitros, treinadores e atletas reconheceram aspectos que podem ser melhorados pelo desenvolvimento do voleibol e assumiram o compromisso de trabalharem juntos daqui para frente.

- Fiquei surpreso. É muito importante essa interação. A relação que havia entre atletas e árbitros ou técnicos e árbitros era uma coisa distante. Conseguimos trazer os nossos anseios e os atletas também trouxeram. Houve uma aproximação e esse é um ponto essencial para que o voleibol se desenvolva ainda mais - disse Anderson Caçador, árbitro da final da Superliga feminina 12/13.

- Sentimos que há um crescimento na concepção do nosso produto, que é o voleibol. Estamos imbuídos de melhorá-lo. É fundamental que possamos incluir todos os atores deste espetáculo – e os árbitros fazem parte disso. É muito importante conhecer anseios, angústias, necessidades e objetivos dos árbitros para podermos todos nos ajudar - reforçou o técnico Marcelo Fronckowiak, campeão da Superliga masculina 13/14 pelo RJX.

O central Gustavo, medalhista de ouro nos Jogos de Atenas, em 2004, deu exemplos de mudanças que podem ajudar o crescimento do vôlei.

- Colocamos o que nos propomos a fazer para melhorar o jogo, assim como os árbitros. Saímos com a premissa de que os árbitros serão mais rigorosos, enquanto nós, atletas, não reclamaremos. Isso dará uma continuidade melhor para o jogo, que ficará mais interessante para o público - disse o jogador, que elogiou o diálogo que vem acontecendo há meses entre todos os envolvidos no voleibol nacional.

- Para nós, está sendo muito gratificante. Estamos aprendendo como funciona a organização de uma Superliga, tudo o que é necessário para esta competição funcione. Acho que estamos aprendendo o outro lado e passando para os demais atletas - avaliou.

Um ponto destacado após a reunião foi a disposição de todas as partes em mudar pelo bem da modalidade.

- Esse é o ponto crucial. Todo o espetáculo vai ganhar com isso e o público vai gostar ainda mais do voleibol. Queremos que os fãs se apaixonem ainda mais pelo esporte que nós somos apaixonados - disse Gustavo, apoiado por Caçador - É o ponto inicial assumir que tal comportamento é devido ou indevido. Todos assumirão novas posturas. Se der certo, não tenho dúvidas de que será fantástico para o voleibol - concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário