sexta-feira, 19 de julho de 2013

Outros: Depois de anos de dedicação, Joel Perosa e Badá deixam as quadras

Raça, títulos e dedicação não faltaram para a dupla Joel Perosa e Jean Carlo Badalotti, o Badá, durante os anos que estiveram nas quadras fazendo o que mais gostavam. Nesta quinta-feira, os dois jogadores, que já conquistaram cinco títulos da Superliga e estavam atuando na Aprov/Unoesc/Chapecó, anunciaram que estão guardando o uniforme para seguirem outros rumos.
O levantador Joel, que agora vai trabalhar no ramo agropecuário, levantou três vezes o troféu da Superliga, sendo duas vezes pela Ulbra/Canoas (97/98 e 98/99) e com a Cimed/Florianópolis (2008/2009). Além disso, defendeu as cores da Seleção Brasileira, onde conquistou a Copa América em 1999.
- Já estava pensando em parar no ano passado, então vim me preparando para esse momento. Acho que foi na hora certa, no momento certo (...) Minha carreira foi brilhante, pois joguei nas mais importantes equipes do Brasil e algumas da Europa. Foram vários jogos emocionantes, muitos títulos importantes que me marcaram e ainda tive uma passagem pela seleção brasileira. Em 28 anos de voleibol posso dizer que ganhei, que perdi, mas o mais importante, e que vai ficar para sempre, são as amizades que fiz durante esse tempo dentro das quadras - revelou o levantador Joel, de 42 anos.
O ponteiro Badá, que vai trabalhar com as equipes de base da Aprov/Chapecó, conquistou dois títulos da Superliga, um com a Ulbra (97/98) e com a Unisul (2003/2004). Além disso, ele venceu por quatro vezes o campeonato nacional na Argentina.
- Saber que não vai ter mais aquela sensação de estar dentro de quadra, brigando pelo ponto, disputando títulos, o cara sente quando vê os ex-companheiros ainda jogando, mas uma hora tinha que parar (...) O voleibol me proporcionou de tudo na vida. Joguei nas principais equipes do Brasil, conquistei duas vezes a Superliga, além disso estive em 17 semifinais, tive conquistas individuais, fui pentacampeão na Argentina. Tenho muito orgulho de tudo que fiz no voleibol - explicou o ponteiro Badá, de 39 anos.
Os dois, juntamente com a direção da Aprov/Unoesc/Chapecó estudam a possibilidade de fazer um jogo festivo de encerramento, provavelmente no mês de agosto, durante as festividades de aniversário do município.

fonte: EspaçodoVôlei

Nenhum comentário:

Postar um comentário