quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Grand Prix: Brasil começa a aclimatação no Japão


A seleção brasileira feminina de vôlei já está no Japão, onde começou nesta quarta-feira (21.08), o período de aclimatação para a Fase Final do Grand Prix. As brasileiras ficarão na cidade de Nagoya até o dia 25 de agosto, quando partirão para Sapporo, sede da etapa decisiva. O primeiro dia do time verde e amarelo em solo japonês foi marcado por dois períodos de atividades no Centro de Treinamento do Denso Airybees, uma tradicional equipe feminina de voleibol no Japão.

No entanto, antes de chegarem a Nagoya, as brasileiras enfrentaram uma verdadeira maratona de três voos e uma viagem de ônibus, em um total de mais de 20 horas. As atuais campeãs olímpicas saíram de Almaty, no Cazaquistão, e seguiram para Hong Kong, na China. De lá, a equipe pegou mais um voo até Tóquio, no Japão. Da capital japonesa, foi a vez do último voo da jornada para a cidade de Nagoya. E depois, mais uma viagem de ônibus até o destino final da delegação brasileira.

O preparador físico da seleção brasileira feminina de vôlei, José Elias Proença, comentou a importância de um período de aclimatação maior antes da fase decisiva de uma competição como o Grand Prix.

- Aclimatação faz referência com o clima. No entanto, aqui temos um problema maior de fuso horário. Avançamos mais três horas em relação ao Cazaquistão. Felizmente, vamos ter um pouco mais de tempo de ajuste de sono e funcionamento gastrointestinal e cardíaco. Daqui a uma semana começa a Fase Final. A aclimatação é o tempo dado para que nós ajustemos a todos esses fatores - disse José Elias Proença, que ainda explicou o trabalho realizado pelo Brasil nesta quarta-feira focado na liberação das articulações.

- Cada etapa do Grand Prix tem um tipo de reação. Nessa última viagem, fizemos três pernas. Foram quase 14 horas de voo onde quase não se dormiu. Também temos que contar o esforço com a bagagem, o tempo perdido nos aeroportos, e as viagens de ônibus. Isso provoca uma reação corporal diferente. O treinamento de hoje foi em função do que chamamos de liberação das articulações. Também fomos para a academia e fizemos um trabalho de amplitude de movimento - informou José Elias Proença.

Dani Lins aparece com destaque nas estatísticas
Melhor brasileira nas estatísticas individuais do Grand Prix, a levantadora Dani Lins, que aparece como a terceira jogadora mais eficiente na sua posição, garantiu que a expectativa para a Fase Final é a melhor possível.

- Na Fase Final são cinco jogos em sequência contra grandes times. A expectativa é boa. Estamos tendo atuações constantes. Essa semana teremos tempo de treinar e acertar os últimos detalhes. Vamos estudar bem as equipes classificadas. Aqui está bem quente e ainda estamos entrando no fuso. É importante chegarmos antes para irmos nos adaptando - afirmou a levantadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário