terça-feira, 6 de agosto de 2013

Olimpíadas: Maracanãzinho, hoje, está fora da Rio-2016


Segundo a Matéria do Site Lancenet, a decisão do governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, de não demolir a Escola Municipal Friedenreich acabou por inviabilizar o Ginásio do Maracanãzinho para os Jogos Olímpicos Rio-2016, nesta segunda-feira, data em que a capital fluminense celebrou a marca de três anos para o início da competição. O motivo é o de que não há espaço para construir as duas quadras de aquecimento, exigidas para a realização das partidas de vôlei.

As quadras de aquecimento iriam ser erguidas no terreno da escola. De acordo com o projeto olímpico, são necessários 850 metros quadrados para as duas instalações e o terreno da escola era suficiente por ter 1.100 metros quadrados.

Além das quadras, ainda há outras exigências, como a criação de espaços para caminhões de TV e acessos exclusivos para atletas. Requisitos que facilmente seriam cumpridos com o espaço que sobrava do terreno.
O governo do estado foi consultado sobre o problema e deu como resposta a informação de que ainda não há uma definição sobre o caso. Já o Comitê Rio-2016 disse que se reunirá com o governo estadual para discutir em conjunto a configuração do Complexo Maracanã para os Jogos.

Bem, o fato é que, hoje, o Maracanãzinho não tem condições de receber o vôlei. Agora, os arquitetos, engenheiros e afins terão de achar uma solução para o problema.

Erguer duas quadras provisórias na pista do Célio de Barros? Pode ser. Mas como os atletas vão passar para o Maracanãzinho? No meio do público?

Sem dúvida, com a decisão do governador, o projeto do Rio ficou comprometido. E, talvez, seja necessário que a Federação Internacional de Vôlei (FIVB) abra mão de certas exigências olímpicas para a modalidade permanecer no Maracanãzinho.

Fonte: Lancenet

Nenhum comentário:

Postar um comentário