sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Superliga: CBV recebe atletas do Volta Redonda em sua sede

A diretoria da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) recebeu na manhã da última quinta-feira (08.08) um grupo de atletas e o técnico do Volta Redonda, Alessandro Fadul, para uma reunião na sede da entidade. Os atletas vieram à CBV pedir uma exceção para que o clube participe da Superliga masculina 13/14. Fábio Azevedo, superintendente executivo da instituição, esclareceu ao grupo que a CBV não confirmou a inscrição do clube no campeonato porque o mesmo não cumpriu o acordo de pagar os salários atrasados aos seus atletas, violando os artigos 7º e 11º do regulamento, que proíbem a participação na temporada de clubes que não honrarem seus compromissos com os jogadores.

- Ao fazer valer as exigências do regulamento da competição, a CBV pensa exclusivamente em defender os atletas. Todas as nossas atitudes foram feitas com este objetivo. Não é interessante para ninguém ter um clube fora da competição. Mas não podemos deixar os atletas desprotegidos. Se o clube tivesse honrado seus compromissos, estaria inscrito no campeonato - garantiu Azevedo.

O superintendente relatou ao grupo que, em maio de 2013, a CBV recebeu uma denúncia da Comissão de Atletas de que o referido clube estava em débito com 11 atletas que disputaram a última temporada da Superliga, fato este confirmado pelos próprios atletas via e-mail.

- No dia 10 de julho, promovemos uma reunião com os atletas e o presidente do clube, Rogério Loureiro, aqui na CBV. Alguns atletas optaram por entrar na Justiça contra o clube. Outros por fazer um acordo para receber seus salários em atraso, reconhecidos pelo Volta Redonda. A CBV exigiu como condição para a participação da Superliga a apresentação de documentação comprobatória da quitação dos acordos até o dia 15 de julho. Abrimos esta exceção para ajudar os atletas, mas infelizmente não recebemos nenhuma documentação por parte do clube e, no dia 16, fomos obrigados a cumprir o regulamento, não confirmando a inscrição do clube no campeonato - explicou Azevedo.

Após o anúncio, o Volta Redonda recorreu à Justiça comum e apresentou liminar para participar da Superliga 13/14, no dia 19 de julho. A medida cautelar foi expedida pelo juiz Alexandre Custódio Pontual, da 4ª Vara Cível da Comarca de Volta Redonda, no interior do Rio de Janeiro. Nesta terça-feira (06.08), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro cassou a liminar atendendo a um pedido da CBV.

Azevedo sugeriu ao grupo marcar uma reunião entre os jogadores do Volta Redonda, a Comissão de Atletas e a CBV com objetivo de buscar soluções para a recolocação dos atletas no mercado. Apesar de frustrados com a possibilidade de não jogar a Superliga, ao final do encontro, os atletas agradeceram a oportunidade da conversa e mostraram que compreenderam a posição da entidade. Renato, ponteiro e capitão da equipe, deixou claro o quanto foi importante ter conhecimento do histórico da negociação:

- Hoje nos foram passadas algumas coisas que não estávamos sabendo. Houve um acordo, que todos se comprometeram a assinar. Mas, depois, alguns recuaram e pediram outros valores. Hoje soubemos a verdade, que não houve contato do presidente do Volta Redonda com a CBV para explicar que aconteceram esses problemas. O clube devia ter ligado para a CBV e dito que as coisas não estavam resolvidas. Vamos agora sentar com os atletas para discutir alternativas - afirmou.

O levantador Carlos Fidele Arósio também agradeceu e disse que continuará buscando um caminho.

- Gostei muito da maneira como a CBV nos recebeu, com educação e transparência. Conseguimos entender a posição deles e vamos buscar todas as formas possíveis de conseguir participar da Superliga, de forma amigável e coerente. Muitos atletas deixaram de mudar de time apostando no Volta Redonda. Vamos buscar um caminho - disse ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário