domingo, 11 de agosto de 2013

Vôlei Nacional: Técnico do Praia Clube decide usar Mari como oposta na Superliga


Mesmo sem treinar com o elenco da equipe do Praia Clube, que se prepara para a Superliga 2013/2014, está definido que a atacante Mari vai jogar na saída de rede. A decisão partiu do técnico Spencer Lee em coletiva realizada na quarta-feira, antes do treinamento no G3, em Uberlândia. A definição do treinador é motivada pela possibilidade de Mari disputar posição com a ponteira Herrera. Para evitar este duelo por posições, elas atuarão em lados distintos da quadra.

– Em uma conversa prévia com a Mari, a gente conversou que ela seria oposta passadora para contribuir com nosso sistema de jogo. Vamos deixar a Herrera priorizar o ataque e a responsabilidade do passe para outras jogadoras. O melhor de tudo é que a Mari está disposta a contribuir com a necessidade do clube – disse Spencer Lee.

Na terça-feira, Mari se reapresentou no Praia  e realizou trabalhos físicos no clube. Para a atacante, a saída de rede significa retornar a sua origem.

– Joguei nesta posição nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, e fiz uma Superliga assim, minha origem é na saída de rede. Tive que virar ponteira nas Olimpíadas de 2008, porque o José Roberto (técnico da seleção brasileira) pediu. Naquela época, estávamos carentes de uma passadora com 1,90 m e tive que ser ponteira – explicou Mari.

Assim como a atacante Herrera, Mari ainda não pode trabalhar com bola. O primeiro encontro será na segunda-feira, com treinos individualizados. Os trabalhos com o grupo acontecerão dentro de 30 dias.

A situação de Herrera ainda requer mais cuidado. A cubana concilia a fisioterapia com a academia. A comissão técnica espera contar com Herrera na quarta ou quinta rodada da Superliga Feminina.

3 comentários:

  1. não seria ponteira passadora.

    ResponderExcluir
  2. Não, ela vai jogar como oposto, mas vai ajudar no passe por isso ele usou esse termo ( oposto passadeira)

    ResponderExcluir