segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Grand Prix: Brasil não toma conhecimento da China e se consagra Eneacampeão do Torneio

A seleção brasileira feminina de vôlei é nove vezes campeã do Grand Prix (1994, 1996, 1998, 2004, 2005, 2006, 2008, 2009 e 2013). Neste DOMINGO (01.09), o Brasil venceu a China por 3 sets a 0 (25/15, 25/14 e 25/20), em 1h13 de jogo, no Hokkaido Prefectural Sports Center, em Sapporo, no Japão, coroou uma campanha brilhante e garantiu o nono título. O time verde e amarelo terminou a fase final invicto. Foram cinco jogos, cinco vitórias e nenhum set perdido.

O próximo desafio das brasileiras no ano será o Campeonato Sul-Americano, de 16 a 23 de setembro, no Peru. A competição será classificatória para a Copa dos Campeões e Campeonato Mundial de 2014.
Na partida deste domingo, mais uma vez, brilhou a estrela da oposto Sheilla. A atacante foi a maior pontuadora do confronto com 18 acertos (15 de ataque, um de bloqueio e dois de saque). As ponteiras Fernanda Garay e Gabi também tiveram boas atuações, respectivamente, com 14 e 12 pontos. Em tarde inspirada, a levantadora Dani Lins foi eleita a melhor jogadora do duelo.
Com a vitória no segundo set do confronto com as chinesas, as brasileiras já haviam garantido o título, mesmo assim, o Brasil manteve o bom ritmo e fechou o jogo por 3 sets a 0. A levantadora Dani Lins falou sobre a conquista do time verde e amarelo.

“O Grand Prix é uma competição cansativa, mas estou feliz pelo trabalho bem feito e pelo título. Vencemos todos os jogos na fase final por 3 sets a 0. Sabíamos que tínhamos que ganhar o jogo. Quando acabou o segundo set, vibramos um pouco, mas o Zé Roberto pediu concentração para fecharmos a partida. É muito bom ganhar esse título pela nona vez. O terceiro set foi difícil, mas deu tudo certo”, disse Dani Lins.
A oposto Sheilla, que mais uma vez teve papel decisivo numa conquista do voleibol brasileiro, comentou sobre a participação do Brasil na edição 2013 do Grand Prix.



                                           Sheilla foi um dos destaques no jogo final

“Ganhamos todos os jogos da fase final por 3 sets a 0. O time se comportou muito bem em todo o campeonato. A China mudou o time para jogar contra nós, mas nos adaptamos e vencemos o jogo. Cumprimos o nosso papel”, afirmou a oposto, que ainda fez uma análise da sua atuação individual.
“Acho que estou aos poucos voltando a minha forma. Foi bom que voltei a jogar bem na fase final. Estou feliz pela atuação do time inteiro. Tivemos muita maturidade na etapa decisiva”, afirmou a atacante.

Estreia vitoriosa de Gabi
Com apenas 19 anos, a atacante Gabi viveu fortes emoções nos últimos meses. Depois de ser medalha de bronze no Campeonato Mundial Juvenil, a jogadora integrou a seleção adulta e, na sua primeira participação na fase final do Grand Prix, ficou com o título sendo um dos destaques da campanha do Brasil.
“É muito bom ser campeão. Foi um campeonato muito proveitoso. A seleção manteve o ritmo do começo ao fim. Nosso objetivo era ganhar todas as partidas na fase final e fizemos isso. Estou muito feliz de ter jogado essa competição. Foi o meu primeiro título com a seleção adulta. Agora é hora de comemorar”, garantiu Gabi.
Para Gabi, natural de Belo Horizonte, a competição também ficará marcada pela realização de um sonho: jogar ao lado da também mineira de Belo Horizonte, Sheilla.
“Sempre foi meu sonho estar na seleção e jogar ao lado da Sheilla. É um momento de realização. Sempre fui muito fã dela. Os meus pais sempre me lembram disso. Estou muito feliz”, disse a ponteira, que ganhou elogios do seu ídolo.

“É muito bom jogar com a Gabi. Ela é muito madura para a idade dela. Brincamos dentro e fora de quadra. É uma jogadora que já se destacou na Superliga. Ela fez um Grand Prix maravilhoso e vai evoluir ainda mais até 2016”, afirmou Sheilla.

José Roberto Guimarães exalta mescla entre novatas e experientes
O treinador José Roberto Guimarães fez uma análise da participação brasileira no Grand Prix.
“É muito bom ver que quando enfrentamos as melhores equipes do mundo, nossas jogadoras se sentem mais a vontade, mesmo nos momentos mais difíceis. É legal ver a Gabi jogando nesse nível. É isso que precisamos. Eu acordo, tomo café, almoço e vou dormir pensando em voleibol. Posso dizer que os Jogos Olímpicos já começaram, temos time para brigar contra qualquer seleção do mundo”, disse o treinador brasileiro.

Sobre o jogo com a China, José Roberto Guimarães lembrou que queria sair de quadra com a vitória, independentemente de o Brasil ter garantido o título no segundo set.
“Eu queria ganhar esse jogo. Esse era o objetivo principal. Ser campeão com um resultado positivo. O mais importante foi termos ganho todos os jogos por 3 sets a 0. Foi uma excelente campanha. Agora, vamos nos preparar para o Sul-Americano”, comentou José Roberto Guimarães.
Para o treinador tricampeão olímpico, um dos segredos das vitórias do voleibol brasileiro é a mescla entre jogadoras novas e experientes.

“É importante encontrar atletas como a Gabi, a Natália e a Tandara para esse movimento do voleibol brasileiro continuar. Precisamos sustentar esse trabalho. A mescla dessas jogadoras com nomes como Sheilla, Fabi, Fabiana e Thaísa, que têm idade para a próxima Olimpíada, é muito importante. Temos que dar para o voleibol brasileiro a possibilidade de continuidade para o futuro”, analisou o técnico do Brasil.
Quando questionado sobre o que mais marcou a campanha das brasileiras no Grand Prix, José Roberto Guimarães não teve dúvidas.

“O mais legal foi a convivência com esse grupo. O Grand Prix é o campeonato mais complicado e difícil que você pode participar pelo tempo fora de casa, as viagens, o fuso, o cansaço e a saudade. Essas meninas deixam de estar nas suas casas para treinar, viajar e dormir mal com o objetivo de representar a seleção brasileira. É muito importante esse sentimento de brasilidade”, finalizou José Roberto Guimarães.

Desembarque
A seleção brasileira retornará para o Brasil na madrugada desta SEGUNDA-FEIRA (02.09). O time verde e amarelo desembarcará no Brasil no voo LH540 (Lufthansa) às 5h30 desta TERÇA-FEIRA (03.09) no Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo.
O JOGO
O Brasil começou bem no bloqueio e fez 7/1. O time verde e amarelo seguiu melhor e foi para o segundo tempo técnico com oito de vantagem (16/8). Sheilla se destacou e as atuais campeãs olímpicas venceram o set por 25/15.
As brasileiras mantiveram o bom momento no início do segundo set e fizeram 9/7. Com Sheilla se destacando no ataque, o Brasil fez 16/11. As atuais campeãs olímpicas seguiram sem dar chances para a China e fecharam o segundo set com um ataque de Thaísa por 25/14. O resultado garantiu o nono título do Grand Prix para as brasileiras.
A China voltou melhor para o segundo set e fez 11/7. O Brasil cresceu de produção e virou o marcador (16/13). As brasileiras seguraram a vantagem, venceram o set por 25/20 e o jogo por 3 sets a 0.
EQUIPES
BRASIL – Dani Lins, Sheilla, Fê Garay, Gabi, Fabiana e Thaísa. Líbero – Fabi
Entraram – Michelle e Juciely
Técnico – José Roberto Guimarães
CHINA – Yin, Shen, Yang, Zeng, Wang e Ma. Líbero - Zhan
Entraram - Mi, Hui e Zhang
Técnico – Lang Ping

Nenhum comentário:

Postar um comentário