segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Raio X: Minas

 
Minas A Juventude a serviço do Vôlei! 

RECOMEÇANDO! É essa a impressão que temos quando nos deparamos com o elenco do tradicional time de Minas para a temporada, depois de no seu passado, ter alcançado títulos
e estar sempre cheio de jogadoras de prestigio e de experiência juntamente com apostas estrangeiras o novo MINAS está recheado de jogadoras juvenis e novatas. O grupo formado apresenta outra proposta para a competição nacional e pretende se tornar uma vitrine para essas jovens e promissoras jogadoras.
Marco Queiroga - Novo Técnico do Time
Técnico: Marco Queiroga – Marco é o novo técnico do Minas para a temporada, o treinador foi por anos assistente técnico do antigo comandante  Jarbas Soares e também é assistente técnico de Luziomar de Moura na seleção Juvenil, especialista nos trabalhos de base o comandante fará sua estreia no time adulto na competição nacional.

Time Titular: Giovana Gasparini (1,74,1994) Giovana é a atual levantadora titular da seleção juvenil nacional, a medalhista mundial da categoria possui uma boa técnica e uma personalidade tranquila dentro de quadra, atuando no time do Minas desde o ano passado e boa parte como titular devido a lesão de Claudinha, ex levantadora do time, a levantadora vem para segunda temporada confiante e disposta a mostrar serviço.
A Americana Alaina Bergsma
Oposta: Alaina Bergsma (1,93, 1990) Seguindo a tradição Mineira de revelar novos talentos estrangeiros na Superliga a Americana Alaina é uma das apostas do time para essa temporada, alta e com boa técnica a atacante passou pelas ligas universitárias americanas e por ligas intermediarias como a de Porto Rico, onde atuava, Alaina também já treinou com a seleção principal de seu pais onde também teve uma carreira paralela de modelo e Miss, feliz com a oportunidade de jogar no Brasil Alaina quer crescer e evoluir seu jogo atuando em uma das ligas mais fortes do mundo.
A porto Riquenha Lynda Morales
Central 1: Valquiria Dullus (1,88, 1994) A meio de rede Val é atualmente a central da seleção juvenil nacional e possui além de um bom bloqueio um ótimo nível de ataque que muitas vezes a fez ser bola de segurança da equipe, com uma personalidade forte a jovem jogadora chega pela primeira vez na liga adulta pronta para mostrar seu trabalho e comandar o meio de rede do time Mineiro.
Central 2: Lynda Morales (1,88, 1988) A Porto Riquenha Lynda é uma boa central que também possui nacionalidade americana e assim como Alaina jogava na liga Universitária de seu segundo pais e em ligas intermediarias como as de Porto Rico, mais foi defendendo as cores de sua seleção que Lynda ficou conhecida no esporte. Lynda está radiante com a oportunidade de jogar no Brasil e foi destaque na imprensa de seu pais por tal feito, a fim de evoluir no esporte e se tornar uma jogadora de elite a meio de rede é mais uma aposta estrangeira para a temporada.
Ponteira 1: Carla Ferreira Santos (1,77, 1992) A jovem jogadora Carla é dona de um dos braços mais pesados do vôlei nacional, boa de ataque e com um bom bloqueio a jogadora considerada “baixa” para posição parece voar em quadra quando o quesito é ataque, revelada nas categorias de base do Minas a atacante já está em sua terceira temporada defendendo o time Mineiro só que agora com uma responsabilidade diferente, mesmo tão nova, ser uma referência dentro de quadra para as demais jogadoras de seu time, para temporada Carla pretende evoluir seu fundo de quadra a fim de ajudar o Minas a alcançar triunfos na competição.
Ponteira 2: Sthefane Tiele Paulino (1,90, 1993) Tefão como é conhecida no meio foi revelada nas categorias de base nacional, a vice campeã mundial juvenil tem um ótimo bio tipo aliado a um grande poder de definição, a oposta que também exerce a função de ponteira, começou sua carreira adulta no time de São Bernardo onde atuou por uma temporada, depois disso encarou uma o vôlei internacional atuando em times pela Europa, como na Alemanha onde estava, de volta ao cenário nacional a jogadora que também é conhecida por sua vibração e garra dentro de quadra, pretende usar a experiência adquirida lá fora em prol do time Mineiro na competição.
A libero Arlene e o o grupo de jovens jogadoras do Minas
Libero: Arlene Xavier (1,82, 1969) Com todo o respeito que lhe cabe Arlene é uma lenda viva do voleibol nacional a incansável jogadora que está com 44 anos ainda joga um voleibol de altíssimo nível e segue embalada para a competição. Arlene é daquelas jogadoras que fez historia no pais, desde cedo na seleção onde também atuou como meio de rede, sua primeira função, a hoje defensora participou do time por alguns ciclos olímpicos onde obteve inúmeras conquistas, por clubes a jogadora tem passagens por diversos times os principais foram o próprio Minas, Osasco, Pinheiros, Praia Clube, de volta ao time Mineiro além de comandar o fundo de quadra, especialidade que a libero faz com maestria, ser a grande referencia para essas jogadoras dentro e fora de quadra.

Jogadoras que chegam a Minas para temporada
Time Reserva: Levantadora: Marcella Macedo (1,80, 1993) Marcella é uma jogadora jovem revelada nas categorias de base, onde fez parte da seleção nacional, depois de uma passagem pelo time do Sesi sp a jogadora chega a Minas a fim de conquistar seu espaço. Oposta: Fabiane Correia (1,7,1995) Fabí é uma jovem atacante com boa estatura que foi destaque no time juvenil mineirista e terá sua oportunidade no grupo adulto. Centrais: Raquel Vasconcelos (1,88,1994) dotada de uma ótima leitura de bloqueio a jovem meio de rede é uma das mais experientes do grupo, já atua no time principal a duas temporadas, a jogadora vinda da base do time é uma concorrente direta a vaga de titular no sexteto principal. Nandyala Gama (1,86,1993) Nandyala também foi aleta revelada na base e participou da seleção juvenil, com mais Ponteiras: Fernanda kuchembecker (1,83, 1992) Fernanda é uma jogadora boa de fundo de quadra revelada no vôlei do Sul do país, depois de participar de times da liga nacional a clássica ponta passadora desembarca em Minas para equilibrar o time em suas ações de ataque e fundo de quadra. Maiara Cristina Moreira (1,85, 1990) Maiara é uma das mais experientes do grupo, a ponteira tem passagens pelo vôlei do interior e pela liga nacional e chega a Minas para compor o time. Lenisse Aquino (1,88,1992) Lenisse é uma jogadora alta e boa de bola, uma das mais experientes do grupo a jovem jogadora já faz parte do time de Minas a duas temporadas e é uma forte candidata ao sexteto principal. Libero: Laís Vasques (1,72, 1996) A Caçulinha desse time tão jovem Laís é das categorias de base Mineira e chega ao time adulto principal com a missão de substituir Arlene se necessário.
experiência a jovem central é mais uma promessa para o grupo Mineiro.

Lynda e Alaina - apostas Estrangeiras

 Quem Chegou? Lynda Morales (Porto Rico), Alaina Bergsma (Porto Rico), Tefão (Alemanha), Arlene (Praia Clube), Marcella (Sesi), Fernanda (Liga Nacional) e todas demais jogadoras da base.


Quem Continuou? Giovana, Carla, Lenisse, Raquel.

Carla - destaque do time




Destaque: Foi na temporada de 2011/2012 ao sair do banco de reservas distribuindo pancadas nas
quadras adversárias que Carla chamou atenção no cenário nacional, a jogadora de apenas 1,77 e tranquila em seu jeito de ser tem uma excelente força física e uma boa impulsão, boa de rede e pronta para evoluir também em outros fundamentos, a agora titular e referência para o seu time Carla tem a meta de conseguir aliar seus fundamentos de fundo de quadra com os de rede para que assim se torne uma atleta mais completa e ajude seu time na competição, a jovem promessa, hoje realidade em Minas tem tudo para fazer uma ótima temporada e ser o destaque desse renovado time.

Pré temporada - Minas no campeonato Mineiro
Pontos Fortes: Quando analisamos o time do Minas podemos notar que apesar de serem jogadoras vindas do juvenil e outras jogadoras sem muita experiência em competições do porte da Superliga são todas atletas que de alguma forma se destacaram no pouco que possuem de carreira, com bons fundamentos e a juventude que lhes permitem uma boa forma física e um bom desempenho em treinos e em quadra, com um time alto de jogadoras boas de ataque como Tefão, Carla, Valquiria, etc.. o time tem tudo para ter uma boa virada de bola e um bom bloque, e ir evoluindo na competição.

Pontos Fracos: Com um time tão jovem e com jogadoras estreantes em competições desse nível o que mais vai faltar em Minas é a tranquilidade e o psicológico característicos da falta de experiência ocasionado pela média de idade geral do grupo e da pouca vivencia em quadra, outro fator que deve atrapalhar bastante o Minas é a sua linha de passe e seu volume de jogo, já que as jogadoras da função não são especialistas nesses fundamentos.A falta de um banco de reservas que traga segurança ao sexteto principal também é um fator relevante.

O que esperar do Minas para essa temporada? Com um time muito jovem e um investimento baixo a
Time treina forte para competição
responsabilidade de desempenho do time da competição tem que ser vista de uma forma diferente, essas jogadoras não podem ir pra quadra pensando em resultados e sim na evolução do seu jogo individual se refletindo no coletivo, o que poderemos ver como já citado é uma vitrine de jovem e boas jogadoras para o cenário nacional que gere bons frutos no futuro, por hora podemos esperar que o Minas faça boas partidas e que jogue de igual pra igual com times do mesmo nível de investimento.

 Estrutura: O Minas conta com a estrutura oferecida pelo tradicional clube Minas Tênis Clube que oferece
Arena do Minas
além de uma arena de primeira, ótimas instalações de treino, fisioterapia e academia, ao fechar parceria com a Itambé o clube se credenciou para continuar a fazer parte do cenário nacional. Comanda seus jogos na Arena Juscelino Kubitschek com capacidade de até 4,000 pessoas.





Contato: minastenisclube.com.br/esportes/volei-feminino
Elthon Carvalho




Nenhum comentário:

Postar um comentário