domingo, 22 de setembro de 2013

Raio X: Praia Clube/ Banana Boat


Praia Clube / Banana BoatO “pequeno” Gigante cresceu!


A HORA É AGORA! Depois de ter feito boas temporadas e de passo a passo ir crescendo  desde o início do projeto a cerca de sete anos atrás, o time de Uberlândia se estruturou ao ponto de conseguir se tornar um time de elite no país. Pronto para brigar pelas primeira posições da competição e com contratações de peso o “pequeno gigante” como ficou conhecido vem forte e embalado do sucesso obtido na última edição da Superliga onde ficou a alguns pontos de encarar uma semi final. Mais será que o sábio Spencer Lee e sua comissão saberá trabalhar como time que tem nas mãos? onde o Praia pode chegar? É o que vamos tentar desvendar juntos a partir de agora.
Time para temporada 2013/2014

Spencer  Lee
Técnico: Spencer Lee – Spencer é um técnico mineiro que está engajado com o projeto do vôlei em
Uberlândia desde o inicio, hora como técnico ou como dirigente o excelente estrategista vem pra mais uma temporada a  frente do time praiano a fim de conseguir ir mais longe dentro da maior competição do país. Visto como a maior “revelação” para o posto de técnico dos últimos tempos o comandante mostra que tem muito talento para a função conseguindo durante o pouco tempo técnico passar todas as instruções técnicas e táticas para suas jogadoras e ainda colocar o time pra cima, mexendo com o seu psicológico.




Ju carrijo
Time Titular: Levantadora: Juliana Carrijo (1,76,1992 ) Ousadia é o nome que se dá a Jú Carrijo em quadra, apesar de jovem e “inesperiente” para a função a levantadora mostra que tem muita personalidade e um futuro brilhante pela frente, surgiu no cenário do volei quando fazia parte do grupo das seleções de base, passou por São Caetano e chegou ao Praia Clube para brilhar na função, com o titulo de “revelação” da Superliga passada e recém convocada para defender a seleção Sub- 23 no mundial da categoria a armadora tem tudo para fazer a sua melhor temporada pelo time.
Mari voltará atuar como oposta
Oposta: Marianne Steibrecher (1,90,1983) A campeã olimpica Mari é
daquelas jogadoras que sua historia está difundida com a historia do esporte no país, polêmica e com uma personalidade única Mari é um ícone. Revelada nas categorias de base em São Paulo Mari já era titular na seleção principal do pais com apenas 19 anos de idade, participou da seleção por três ciclos olimpicos onde tem inumeras conquistas, em sua carreira em clubes a atacante teve passagem vitoriosa pelo extinto Bcn Osasco, São Caetnao e Rio de Janeiro, lá fora atuou na itália e recentemente na Turquia, mais nem só de louros foi feita a carreira de Mari, que em  historia de superação está composta por graves lesões como a que sofreu no joelho recentemente atuando no exterior, em fase final de recuperação a jogadora novamente segue firme em busca do seu melhor ritmo de jogo a fim de, mais uma vez, recomeçar sua carreira.
Central 1 – Mayhara Francini (1,85, 1989) Mayhara é uma jovem central que possui um excelente poder de ataque e muita versatilidade podendo atuar também em outras posições, com bom bloqueio e uma vibração contagiante a meio de rede que foi revelada no cenário nacional atuando pelo Rio do Sul na temporada retrasada, vai para o seu segundo ano defendendo as cores do time mineiro em busca de evolução e firmação da sua posição de titular no time.
Central 2 – Leticia Hage (1,89, 1990) Bloqueio é o sobrenome dessa jogadora em quadra, dotada de uma técnica e de uma leitura de jogo perfeita a central chamou atenção no cenário nacional quando atuava no clube de São Caetano e por estatistica foi eleita a melhor bloqueadora da competição, jovem e com um ataque muito angulado e preciso a central possui passagens pela seleção de novas e a seleção principal onde estava recentemente dispultando alguns torneios, de contrato renovado Leticia, que está em plena evolução,  buscar dar o seu melhor e comandar o meio de rede do time de Uberlândia.
Ponteira 1- Yusleini   Herreira (1,77, 1984) A Cubana Herreira que já defendeu a seleção de seu país no passado desembarcou no Brasil a algumas temporadas sendo uma aposta do time do Minas Clube para a competição, aposta mais que acertada, algum tempo se passou e a atacante tipicamente cubana que implica em ter golpes diversificados aliados a força caracteritica das caribenhas, foi evoluindo em outros fundamentos e hoje é uma das principais jogadoras da competição, onde na temporada passada já atuando pelo time praiano liderava com folga o posto de maior pontuadora do campeonato, até infelizmente sofrer uma grave lesão no joelho que a tirou de vez do restante da disputa. Em fase final de recuperção e com a raça e garra já caracteristica dessa jogadora Herreira vem ai disposta a recuperar o tempo perdido e ajudar o time em suas pretensões.
A Americana Kim Glass
Ponteira 2 – Kimberly Glass (1,92,1984) A Americana Glass conhecida carinhosamente como “Black pearl” (pérola negra) é um dos principais reforços do time para competição e uma das principais contratações da Superliga.  A vice campeã olimpica possui ótimos fundamentos, Kim apensar de alta é a classica ponteira passadora, com ótimos passes e ataques um bloqueio firme e um saque preciso, por anos defendeu as cores da seleção Norte Americana onde se consagrou no cenário internacional, em sua carreira por clubes passou por ligas em paises como Porto Rico,Turquia, Rússia, Azerbaijão e recentemente China. A fim de encarar um novo desafio em sua carreira a jogadora desembarca no Brasil para ajudar a equilibrar as ações do time tanto no passe como na rede e ser um dos grandes nomes para a temporada.
Líbero – Tássia Sthael (1,72,1988) Tássia é uma ótima libero, em plena evolução a jogadora revelada nas categorias de base que ficou conhecida no cenário nacional atuando pelo time de Minas vem se destacando em sua posição e chega ao Praia clube a fim de mostrar serviço, o equilibrio entre um bom passe e uma boa defesa fazem de Tássia a oposta de Spencer Lee para a função no seu time na temporada.

Monique e Michelle Pavão
Time Reserva: Levantadora - Camila Torquette (1,81,1986) Camila é uma jogadora experiente na função que tem boas passagens por diversos clubes como Pinheiros, Minas e o próprio Praia onde está a algumas temporadas, a capitã do time de Uberlândia segue no grupo para mais uma temporada a fim de contribuir com sua experiência e liderança para o time. Laura – Laura Paula (1,75,1994) é uma jovem levantadora que saiu das categorias de base do time praiano e fará sua estreia no time adulto. Oposta -  Monique Pavão  
Técnica e Habilidade são as principais caracteristicas dessa jogdora que desde cedo chamou atenção por onde passou, apesar de “baixa" para a função a atacante nunca deixou a desejar no quesito virada de bola e também possui ótimos fundamentos de fundo de quadra, podendo até atuar como ponteira se necessário, com um bom saque e um bom bloqueio Monique apareceu no cenário nacional nas seleções de base e foi ao longo dos anos evoluindo e fazendo ótimas apresentações por onde passou, depois de algumas temporadas no time do Rio de Janeiro a atacante passou pelo extinto Macaé e chegou ao Praia na temporada passada onde desempenhou muito bem o seu papel fato que a habilitou junto de sua irmã Michelle a ser convocada pela primeira vez em suas carreiras para seleção adulta principal onde atuou em todas competições até agora, no “Auge” do seu volibol a jogadora promete desempenhar um ótimo papel em mais uma temporada pelo time Praiano. Centrais – Aline Silva (1,96, 1986) Aline é uma jogadora alta e com um bom bloqueio, tem personalidade guerreira e está em busca de sua afirmação no vôlei nacional, a jogadora que ficou conhecida em suas passagens pelos times do ABC Paulista como São Bernardo e São Caetano é uma das grandes apostas de Spencer para a posição.
Reforços para temporada: Aline, Nati e Isabela
Natália Martins - (1,86, 1984) Nati Martins é uma central com um ótimo poder de ataque e bom bloqueio a jogadora tem ótimas passagens por times
Jogadoras já apresentadas
da Superliga como Brasil Telecom, São Caetano, Pinheiros e recentemente no Sesi – Sp a central também tem passagens pelas seleção de novas e pela seleção principal. Com o intuito de recuperar sua melhor forma de jogo e brigar de igual pra igual por uma vaga de titular no sexteto principal Nati Martins chega ao Praia para ser uma ótima opção para o grupo. Fernanda Batista (1,84, 1995) Nanda é uma jogadora jovem que se destacou nas categorias de base do time Praiano e fará sua primeira Superliga no time adulto principal. Ponteiras – Michelle Pavão (1,78,1986) Michelle é uma clássica ponteira passadora, com ótimos passes e defesas e uma virada de bola inteligente na rede, além de um saque eficiente Michelle assim como Monique foi revelada nas categorias de base e participou dos times do Rio de Janeiro e Sesi onde também atuou como líbero, todas essas características e credenciou para a sua primeira convocação de seleção principal onde está atuando no momento, de contrato renovado com o Praia a ponteira passadora se torna uma carta na manga para o time de Uberlândia. Isabela Paquiardi  (1,87,1992) Isabela é uma jogadora jovem com bons fundamentos de fundo de quadra além de um bom ataque, depois de aparecer no cenário nacional em ótimas atuações pelo time de São Caetano a jovem jogadora chega ao Praia como uma aposta para a posição. Monique Aguiar (1,72,1995) é uma jovem ponteira revelada nas categorias de base do Praia e fará sua estreia no time adulto. Líbero – Bruna Almeida  (1,68, 1994) Bruna é uma jogadora jovem da base do Praia que fará sua estreia na Superliga.

Quem Chegou? Mari (Turquia), Kim Glass (China), Aline Silva (São Caetano), Isabela (São Caetano), Natália Martins (Sesi), Tássia (Minas), Laura, Monique, Bruna, Fernanda (base).

Quem Continuou? Juliana Carrijo, Monique, Michelle, Herreira, Mayhara, Letícia Hage  e Camila Torquete.

Herreira - destaque do time
Destaque: Foi um verdadeiro estrago que a Cubana Herreira causou na quadra adversária quando ainda atuava na temporada passada, com uma média de 20 pontos por partida a atacante estava quase impossível de ser parada até a hora da sua triste lesão que causou um estrago em seu  time que perdeu a sua referência de virada de bola. Quase recuperada e com o astral lá em cima a jogadora em recentes entrevistas falou que só pensa em uma só coisa “voltar a jogar no seu melhor nível e ajudar as companheiras de time”, e se conseguir tal feito a atacante tem tudo para voltar a brilhar nas quadras da Superliga e se destacar perante esse ótimo time.




Pontos Fortes: Quando analisamos o Praia Clube para esse temporada da Superliga as expectativas são as melhores possíveis,  o grupo parece ter encontrado o que ficou faltando na temporada anterior para poder ir mais longe na competição, em outras palavras  “ataque” é a palavra correta a ser usada, com ótimas jogadoras,  definidoras natas,  o time deve ir muito bem em sua virada de bola assim como um bom bloqueio e um saque muito eficiente, com jogadoras altas e habilidosas e com um grupo bem estruturado e com boas peças de reposicão o time de Uberlândia vem com tudo para essa temporada.
Mari e Herreira se recuperam de lesão

Pontos Fracos: Com um grupo mais alto e forte fisicamente e jogadoras boas de rede, o Praia deve perder um pouco o seu volume de jogo tão característico da temporada passada, além de lidar com as lesões de algumas jogadoras importantes como Mari e Herreira, outro ponto que pode pesar para o time é o seu passe que deve ficar um pouco comprometido com a volta de Herreira no sexteto principal, ainda podemos citar as jogadoras de meio de rede que a principio não possuem o mesmo nível de jogo de jogadoras de outras funções.

Pré temporada - Praia no campeonato Mineiro
O que esperar do Praia Clube para a Superliga? Com investimento pesado, reconhecimento e as atuais contratações, jogadoras vivendo pontos altos em suas carreiras e a afirmação do time como Elite na Superliga o Praia tem tudo para ser a sensação do campeonato. Após fazer uma excelente temporada passada e prestigiar o trabalho de jogadoras como Ju Carrijo, as irmãs Pavão e o Excelente técnico Spencer Lee o time se reforçou em busca de conseguir aquele “algo a mais” que ficou faltando na edição anterior. Desde inicio o trabalho de Spencer e de sua comissão tem o foco de recuperar o melhor ritmo de jogo de suas jogadoras como Mari e Herreira vindas de lesão e encontrar o melhor ritmo de jogo para outras jogadoras como Nati Martins e a propria Kin Glass, reforços do time para temporada, com o time “em dia” e todas as jogadoras se não em sua melhor forma, perto disso, o Praia tem tudo para jogar de igual pra igual com qualquer time e alcançar voos ainda não alcançados, como uma inedita semi final e pensando grande quem sabe uma final por exemplo?.

Estrutura: O Time de uberlândia conta com o apoio do complexo mineiro “Praia clube” que oferece a suas atletas estruturas de primeira para treino, preparação fisica, fisioterapia e etc... Especialmente nessa temporada conseguiu mais co -patrocinadores que lhes proporcionaram a formação desse excelente grupo de atletas. O time que tem uma torcida apaixonada comanda seus jogos no ginásio Oranides Borges do Nascimento que tem capacidade para 1,500 torcedores. 


 Contato: https://www.facebook.com/praiaclube
Elthon Carvalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário