quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Vôlei Nacional: Bernardinho, sobre candidatura: 'Não me vejo representando legendas'


No mês passado, o nome do técnico Bernardinho surgiu como possível candidato do PSDB ao Governo do Rio de Janeiro nas eleições de 2014. Três semanas depois das primeiras notas sobre o assunto, Bernardinho falou pela primeira vez sobre a possibilidade, nesta quarta-feira, durante a sessão de fotos do time feminino do Rio de Janeiro.

Entre um clique e outro, membros da comissão técnica brincam quando dois deles são alvos das lentes ao lado de Bernardinho: “Ano que vem, essa vai ser a foto do secretariado”, diz um deles. O treinador fica alheio à conversa. A curto prazo, sua cabeça está nas próximas competições do atual campeão da Superliga feminina de vôlei. Bernardinho não confirmou nem negou que tenha se filiado ao PSDB, alegando que acredita em pessoas, não em legendas. Disse não ter tempo para nada e que pretende ter a liberdade de apoiar quem ele quiser. 

- Esse é um assunto pessoal. Estão falando muita coisa sem nenhuma declaração minha. O meu nome surgiu muito pela carência de nomes. Chegamos a ver isso no futebol, quando a Seleção ia mal. “Ah, chama o Bernardinho!”. Não é assim. O que acontece? Eu sou o Bernardo. Eu participo de um projeto que tem patrocínios e apoios. Eu não posso, de forma alguma, prejudicar e me colocar como obstáculo para prejudicar um projeto maior do que eu, que é o vôlei brasileiro - disse o técnico.

Para Bernardinho, o momento de crise de ética e credibilidade no país o faz se aproximar da política, apoiando projetos, como o das escolinhas de vôlei em sete UPPs (Unidade de Polícia Pacificadora) e o trabalho do seu Instituto Compartilhar em dez escolas municipais do Rio.

- Eu quero poder apoiar pessoas. Não posso me privar de apoiar. Mas não me vejo representando legendas. Não tenho identidade com partidos. Acredito em pessoas. Se o cara é bom, sério, profissional e competente, eu quero poder apoiar. Por exemplo, tenho uma admiração enorme pelo Beltrame (José Mariano, secretário de segurança do Rio). Temos vários projetos juntos em sete UPPs. Em cinco, o Eike (Batista, empresário) é o nosso mantenedor até o final do ano, e em outros dois, onde saiu o apoiador, eu que estou bancando. Quero usar o esporte como fator de liderança, disciplina e educação - finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário