segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Superliga: Uniara/AFAV vence Brasília Vôlei, um resultado histórico


As duas equipes estrearam com derrota na Superliga Feminina de Vôlei 2013/2014 e entraram em quadra, nesta quinta-feira (03.10), em busca da reabilitação, da primeira vitória na história da competição. Melhor para o Uniara/AFAV (SP), que, fora de casa, desbancou o Brasília Vôlei (DF), outra novidade para a temporada: 3 sets a 2, parciais de 21/18, 19/21, 21/17, 17/21 e 15/12, em 2h18 de jogo.

Um dos grandes destaques da partida foi a ponteira Pully, do Uniara/AFAV, que foi eleita a melhor jogadora em quadra e recebeu o troféu VivaVôlei. A maior pontuadora da partida, porém, foi do Brasília Vôlei: a experiente Elisângela, com 18 acertos.

Era um jogo entre atletas experientes, como Paula Pequeno, Érika, Elisângela e Dani Scott, contra jovens ainda desconhecidas no cenário do voleibol. E o equilíbrio se fez presente até o Brasília abrir vantagem de três pontos (16/13). Foi quando a técnica Sandra Leão resolveu mexer na sua equipe, fazendo a inversão do 5 e 1. E deu certo. A ponteira Fernanda Tomé entrou e mudou a história do set. O Uniara empatou em 17/17 e fechou em 21/18, num ataque de Paula.

Jogando bem mais solto, com alegria nas mãos e como franco-atirador, o time do Uniara não demorou a abrir 9/4 no segundo set, numa passagem de Pully pelo saque. Mal na recepção, a equipe da casa não se encontrava. Mas, de repente, tudo mudou. Numa reação incrível, o Brasília virou para 11/10, passando a vibrar mais em quadra. O adversário sentia a pressão pela primeira vez. Dali, porém, a partida foi disputada ponto a ponto. Até as anfitriãs fecharem em 21/19 com dois pontos de bloqueio. Tudo igual.

Assim como nos dois primeiros sets, quem começou mandando no placar foi o Uniara, melhor coletivamente, cometendo menos erros, enquanto o Brasília se mantinha muito irregular na recepção e no ataque. Com a levantadora Ana variando bem o jogo, o time chegou a abrir 15/10 e, depois, 19/13. Momento em que a ansiedade e a falta de tranquilidade falaram mais alto. O time da casa encostou (19/17), mas, numa bola de xeque da central Sol, a Uniara fez 21/17 e voltou a mandar no placar do jogo.

Pela primeira vez na partida, o Brasília conseguiu controlar um set do início ao fim, muito graças ao crescimento da ponteira Paula Pequeno. Uniara, por sua vez, perdeu a agressividade e a atitude, como bem ressaltou Sandra Leão num pedido de tempo. O técnico Sérgio Negrão soube mexer com o brio da equipe e nas peças que tinha à disposição. Como Ju Maranhão, que entrou no fim e, com dois pontos de ataque, ajudou as donas da casa a vencer por 21/17, levando o jogo para o tie break.

Partida igual em dois sets, jogo igual e equilibrado também no tie break. Era tudo ou nada. E os times, mais concentrados, pouco erravam. Mas, na metade do set, importante vantagem de dois pontos para o Uniara (8/6). O Brasília buscou, empatando em 9/9, mas a equipe visitante voltou a colocar pressão, abrindo 11/9 e fechando em 15/12, num ataque para fora de Dani Scott. Momento em que a emoção tomou conta das atletas do Uniara, que conquistavam a primeira vitória da equipe na história da competição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário