terça-feira, 19 de novembro de 2013

Mercado Nacional: Montes Claros deve anunciar dispensa de quatro jogadores


Com apenas uma vitória em cinco jogos na Superliga masculina de vôlei, o Montes Claros também passa por momento de dificuldades fora de quadra. Os recursos esperados inicialmente sofreram cortes e, para não comprometer todo o projeto, que tem expectativa de se manter na cidade por três anos, algumas adequações terão que ser feitas, a começar pela dispensa de atletas.

- Foi uma das alternativas que encontramos para não desequilibrar todo o projeto. É algo que será
necessário para que consigamos manter os nossos compromissos e fazer com que o trabalho tenha início, meio e fim. Queremos ter estabilidade durante este período e este foi um dos caminhos encontrados - comenta Paulo Martins, ex-técnico e agora presidente do time.

Alguns jogadores, que estavam em hotéis, já se mudaram para apartamentos. A expectativa inicial dos atletas ficarem nos hotéis, que era de 15 dias, chegou aos 60, comprometendo ainda mais o orçamento.
São esperadas entre três e cinco dispensas, que podem afetar, inclusive, titulares do time.

- Alguns jogadores não estão rendendo o esperado. É uma situação emergencial que precisamos corrigir para não comprometer a atual temporada e também as próximas. São adequações de momento - mostra Martins.

Atualmente, o Montes Claros conta com 18 atletas, número considerado alto para uma equipe que faz sua estreia na competição nacional.

- Esta condição é possível para times de grande porte e alto investimento. A mudança no meio do caminho mudou a nossa perspectiva. O critério técnico vai pesar na decisão. O que o técnico Nery Júnior decidir, eu assino embaixo - relata o presidente, mostrando confiança em seu treinador.

Assim que ficaram sabendo da necessidade de mudanças administrativas no projeto, a diretoria fez questão de passar a situação para o grupo, que já está ciente das transformações que acontecerão.

- Já os informamos e eles entenderam a situação. É preciso essa compreensão para que, quem ficar, continue disposto a abraçar o projeto e fazer o seu melhor. Essa postura será muito útil no restante da Superliga. Precisamos fazer isso para ter uma rotina mais tranquila e produtiva - pontua.

Para não deixar os jogadores em uma situação desfavorável - uma vez que o regulamento não permite que atletas que já entraram em quadra atuem por outra equipe do torneio -, o Montes Claros cumprirá todas as suas obrigações no momento da rescisão, procurando, inclusive, ajudar no futuro dos atletas, encaminhando-os para clubes da Superliga B ou até mesmo de fora do país.

O mercado estrangeiro ainda está em processo de contratações.

- Vamos fazer tudo da forma mais correta para mantermos limpo o nome do projeto. O time funciona como uma empresa e temos que ter responsabilidade em todos os momentos - declara Martins.

Sobre a campanha, ele acredita que a equipe poderia estar em uma melhor posição. Atualmente, o Montes Claros está em oitavo lugar.

- Se essa posição for mantida até o final, vamos considerar isso como uma medalha de ouro. Mas, poderíamos ter tirado pontos de times grandes, feito melhores partidas e mostrado um maior equilíbrio em alguns momentos. Sabíamos que teríamos dificuldades, mas acredito muito nos jogadores que permanecerão - garante o comandante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário