sexta-feira, 6 de março de 2015

Superliga: Sesi-SP recebe Osasco em jogo que pode definir classificação final



Faltam apenas dois jogos para o término do turno de classificação da Superliga Feminina e o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sabe que não pode perder nenhum ponto, sob o risco de cair de posição e perder a vantagem de mando de quadra nos playoffs. Atualmente na segunda colocação com 55 pontos, mesmo que perca o clássico de sexta-feira (6/3) contra o Molico Osasco, às 21h30, na Vila Leopoldina, o Sesi-SP não cai para terceiro, mas terá que torcer contra as rivais, que possuem um jogo a menos, para se manter na vice-liderança. Após o duelo de sexta, as meninas da Vila terão apenas mais um jogo, contra o líder Rexona, fora de casa, dia 13/3. O Osasco, por sua vez, terá duas partidas: contra as cariocas e o confronto com São José fechando a fase.

Após o revés de terça-feira (3/3) contra o Praia Clube, uma derrota não passa pela cabeça do Sesi-SP. Para a levantadora Carol Albuquerque, o último jogo em Uberlândia serviu para acordar a equipe em momento crucial da Superliga.

“O resultado atrapalhou, ninguém queria perder, mas serviu como um alerta. Temos que entrar muito mais fortes sexta, contra o Osasco, para tentar os três pontos”, disse Carol, que já prevê como será a partida contra as rivais de São Paulo.

“É uma briga direta contra o Osasco agora. Elas virão com o time completo e a partida será decisiva para ver se mantemos o segundo lugar. Vai ser um jogão, com certeza, muito nervoso, com muita disputa dentro de quadra e a rivalidade toda. Elas estão em momento melhor, ganharam do Praia de três a zero e a gente perdeu, mas temos conjunto e time para brigar de igual”.

Nas últimas cinco partidas, o Sesi-SP levou vantagem sobre o Osasco. E durante a Superliga, as meninas da Vila sempre estiveram acima na tabela. Para Carol, o favorito é o outro time, com mais tradição, investimento e craques em quadra.

“O Sesi-SP não é favorito. Não mesmo. Favoritas são elas, pelo elenco cheio de atletas da seleção, pelo investimento maior feito e pelo histórico. Mas nós temos time e já mostramos que podemos igualar o jogo, e é o que vamos fazer”, finalizou a veterana levantadora de 37 anos.

No primeiro turno da Superliga, o Sesi-SP venceu o Osasco fora de casa pelo placar de três sets a zero. O jogo terá transmissão ao vivo pelo SporTV.

Nenhum comentário:

Postar um comentário