segunda-feira, 4 de maio de 2015

Seleção Brasileira: Ex-ponteira, Sassá confirma troca de posição e treina como líbero no Brasil



Os dias de saltos e cravadas na entrada de rede terminaram para Sassá. O terceiro jogo das quartas de final da Superliga, entre o Praia Clube, sua então equipe, e o Minas foi a sua despedida. Porém, a campeã olímpica de 2008 não deu adeus às quadras, e sim mudou de posição. Aos 32 anos, ela entendeu que chegou a hora de tornar realidade uma antiga meta. A ex-atacante agora é líbero.


Com 1,79m, Sassá percebeu que a evolução do vôlei, e de suas atacantes, a transformou em "baixinha". Como sempre teve a qualidade do passe em seus fundamentos, a troca ficou necessária. Porém, todo esse novo cenário não veio por livre e espontânea coragem. Uma ligação do técnico da seleção, José Roberto Guimarães, foi o empurrão que ela precisava.


- Há uns dois anos, eu vinha pensando nessa transição, mas a decisão era um pouco difícil e fui adiando. A oportunidade surgiu quando o Zé me ligou. Ele disse sobre a intenção de me chamar como líbero e respondi que "sim". Era a resposta que estava faltando para minha troca, ela veio na hora certa. Acredito que as coisas vão acontecer da melhor maneira possível - revelou Sassá.


Não se sabe ao certo se a aposentadoria de Fabi da seleção foi o que pesou na cabeça de Zé Roberto, entretanto, em um momento de muitas novas jogadoras e processo de transição, a permanência de uma atleta experiente no elenco foi vista como fundamental.


- Não posso dizer que tenha influenciado de alguma forma. Pelo que ele (Zé) me passou, ia ser uma oportunidade de prolongar minha carreira, além da questão de ser mais velha e poder dar um pouco mais de experiência. Uma atleta mais rodada nessa posição de libero - explicou.


Uma das 17 atletas presentes no CT de Saquarema durante o período preparatório para as disputas do Pan-Americano e do Grand Prix, Sassá ainda não sabe a real diferença entre mirar o alvo e ser um. Neste período, as convocadas se restringem a realizar atividades menos específicas, deixando os trabalhos técnicos e táticos para um segundo momento.


- Não estou treinando especificamente como libero, é meio misturado nossos treinos, mas ainda não caiu a ficha de que não vou atacar mais. Vou esperar para entender que agora só vou receber bolada. Mas estou super feliz de viver essa experiência e provar um pouco do que as líberos passam.

A "novata" contou que ainda não conversou com nenhuma atleta da posição para pegar os macetes, porém deixa claro que isso acontecerá cedo ou tarde, seja com Camila Brait, sua companheira de seleção, seja com a amiga Fabi.


- Ainda não conversei com ninguém, mas, com certeza, isso vai acontecer mais para frente. Pode ser com a Camila ou com a Fabi. Tive a oportunidade de dividir o quarto da concentração da seleção com a Fabi por 10 anos, tenho certeza que é só ligar pra ela, que ela vai me passar todas as dicas (risos) - brincou.


A mudança de seu posicionamento também afetará na troca de time para a disputa da próxima edição da Superliga. Com a renovação de Tássia no Praia Clube, Sassá vai jogar no Brasília, que perderá Veridiana, "Verê", para o Pinheiros.


- Meu próximo clube será o Brasília. Para completar de vez essa transição, eu deixei disponível aos clubes minha opção. O Brasília comprou essa briga comigo. Sei que não vai ser fácil, precisarei de muito treino e muito trabalho, mas acredito que tudo dará certo - completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário